7 dicas de quadrinhos para quem amou Stranger Things

destaque

Já que temos que esperar para ver, que tal ler? 😀

Já te demos seis motivos para assistir à superinteressante série Stranger Things, do Netflix. E se você assistiu, amou, e ficou órfã(o) enquanto a segunda temporada não começa, não tema: separamos sete quadrinhos bem bacanas que passeiam pelos mesmos temas da série. Se você não assistiu, vale a pena ler as HQs mesmo assim.

Paper Girls

hqs_strangerthings1
Um dos escritores de Paper Girls brincou no seu twitter que a série é “quase um reboot com meninos da HQ”, e poxa, ele não está longe de acertar. A história de suspensa tem diversos elementos de ficção científica, e tem tantas viradas de narrativa que eu nem quero comentar profundamente sobre o roteiro. E, sim, ela vai parar em um lugar incrível e fabuloso. Certamente uma das leituras mais próximas do que Stranger Things nos oferecer nas telas.

Sweet Tooth

hqs_strangerthings2

Jeff Lemire narra o conto de Gus, um menino que nasceu com chifres e vive sozinho na floresta, até que conhece um cara mais velho. O vínculo entre os dois não é o único foco da HQ, mas o interessante é o pano de fundo da narrativa: um mundo pós-apocalíptico e distópico. O quadrinho vai ressoar com a história contada entre Eleven e o Doutor Brenner, e a história se passa em apenas seis edições.

Runaways

hqs_strangerthings3

Se o que você curtiu mesmo em Stranger Things é o foco no bando de adolescentes que passa por situações de desobediência civil, você vai curtir Runaways. Claro, além de adolescentes, eles também devem se preocupar com outros temas que a gente ama, como viagem no tempo e superpoderes. E, sim, os temas adolescentes tem bastante a ver com a série. Runaways vai ganhar sua própria adaptação live-action no Hulu.

Plutona

hqs_strangerthings4

A influência de Stephen King está mais do que marcada em Stranger Things, e também na HQ Plutona (e se você não conhece, pode ler o livro The Body). Nesse quadrinho, um grupo de adolescentes encontra o corpo de uma super-heroína na floresta, depois de um dia normal a escola. A partir daí, a história passa a narrar uma caminhada para o amadurecimento, e aponta vários tópicos sobre amizade.

Revival

hqs_strangerthings5

Em uma pequena cidade rual, começa uma história noir, que envolve o sobrenatural, a religião, uma influência do governo, e zumbis. Sim: os mortos estão voltando à vida, mas o mistério é bem maior do que esse. Os zumbis, contudo, não são corpos decrépitos passeando por aí, eles podem se passar com pessoas aparentemente normais. Imagine o problema que isso traz para a vila, que deve lidar com essas ressurreições.

Survivors’ Club

hqs_strangerthings6

Horror misturado a uma teoria da conspiração são as linhas gerais de Survivors’ Club, uma HQ que fala sobre uma lista na internet. Quase todos nessa lista estão mortos, exceto por seis pessoas. Traumas e demônios de um acontecimento de 1987 são trazidos à tona por Chenzira Molenko, uma imigrante Sul Africana que manja de videogames: a protagonista do conto.

We Can Never Go Home

hqs_strangerthings7

Duas pessoas que nunca seriam amigas dividem o mesmo segredo: eles têm super poderes, e também não curtem muito seguir as leis (especialmente porque nem todo governo quer o melhor para os seus cidadãos, ainda mais nesse quadrinho). A HQ se passa mais ou menos no mesmo período de Stranger Things, e funciona para aqueles que são fãs Nancy Wheeler ou Jonathan Byers.

 

Quem escreve? Flávia Gasi

Flávia Gasi é doutoranda e mestre pela PUC-SP. Lançou o livro Videogames e Mitologia. Atualmente é colunista do IGN Brasil, escritora de videogames; CEO da Ni Game Content; professora; e tradutora. Defende a democratização dos consoles, direitos iguais no game e o direito de comer sucrilhos sem leite.