Um noona romance de deixar o coração quentinho 

Something in the Rain (밥 질 사주는 예쁜 누나 ou Pretty Noona who buys me food) é um k-drama sul-coreano de 2018, mas que só fui ter contato semanas atrás por indicação de uma amiga e sou muito grata por isso. Disponível na Netflix, ele conta a história de Jin-Ah (com a majestosa Son Ye‑Jin), uma mulher de 35 anos que ainda mora com os pais e Seo Joon Hee, um rapaz independente de 24 anos e irmão da melhor amiga de Jin-Ah.

Eu confesso que nunca tinha passado tanta raiva num dorama. E explico: Jin-Ah é uma personagem incrível e imatura. Durante os episódios, nós acompanhamos todo o processo de crescimento dela – que é lindo e angustiante.

Something in the rain Joon Hee
Jung Hae In como Joon Hee

Seo Joon Hee, vivido pelo talentoso Jung Hae In, é um rapaz que trabalha com games, já saiu da Coreia do Sul, morou nos EUA e não teve a sorte de ter uma família estruturada. Por conta de todos esses fatores teve seu processo de amadurecimento “intensificado”, por assim dizer. Fica claro desde que ele aparece e reencontra a melhor amiga de sua irmã, que ele nutre uma admiração pelo jeito “menina de ser” da protagonista.

A fotografia e os artifícios visuais utilizados no dorama são outros pontos altos: as cenas onde tomam chuva são muito significativas, bem como as cores dos guardas-chuvas que vão comprando durante seus encontros e processos: tudo pensado para caracterizar os momentos dos personagens. Vermelho (força e raiva), verde (imaturidade), e amarelo (a cor perfeita). A cor sagrada para os asiáticos, pois é a cor de suas peles.

Something in the rain green umbrella
Psicologia das cores está presente no k-drama

Uma mulher em processo de empoderamento

Jin-Ah é alguém que não se impõe: é bastante permissiva e foge de conflitos como o diabo foge da cruz. Passa por abusos, constrangimentos, assédios (em casa e no trabalho) e aguenta tudo. É aí que você, mulher, assim como eu, pode ser obrigada a pausar o episódio para respirar. É quase impossível não se indignar, mas ao mesmo tempo relembrar quantas vezes nós também passamos vários incômodos e não conseguimos botar para fora.

E é aí que começa o sofrimento do parceiro, Joon Hee. Ele é jovem, vibrante, apaixonado e claramente tem dificuldades de lidar com uma Jin-Ah mais velha, dependente da família, submissa em suas relações e incapaz de verbalizar suas dores.

A relação em si é avassaladora e entra em processos complicados: a auto-anulação de Jin-Ah e sua dificuldade de ser honesta em problemas bobos; a vivacidade e sinceridade de Joon Hee, a família que não aceita o romance, os assédios em ambiente de trabalho, o ex-namorado louco. Todos esses artifícios causam inquietações que você deseja que se resolvam logo, mas damos de cara com a parede emocional da nossa menina Jin-Ah.

Son Ye‑jine Jun Hae In em Something in the rain

Bem como a fotografia particular, a trilha sonora segue a mesma linha: foge do tradicional. Ela é em inglês e com algumas músicas antigas, destaque para Stand by Your Man, de Lynn Anderson, que tem uma letra muito significativa e alinhada com Jin-Ah (“Sometimes it’s hard to be a woman, giving all your love to just one man”/”Às vezes é difícil ser mulher, dar todo o seu amor a apenas um homem”).

Tirando todo esse sofrimento, você vai desfrutar de momentos que deixam o coração bem quentinho, como é característico dos doramas: cenas fofas até umas horas, demonstrações de afeto em pequenos detalhes e, importante: a construção da identidade da Jin-Ah através de novas relações, amizades, recomeços e despedidas. Something in the Rain é um presente para quem está se autoconhecendo e saindo da sua zona de conforto.

Something in the Rain está disponível na Netflix.

Leia mais sobre doramas!

Compartilhe: