Produtor de Anthem, novo game da Bioware, dá mais detalhes do jogo em entrevista exclusiva

Capa Anthem

Lutas épicas em um universo místico.

O ano de 2019 chegou e trás novidades para o mundo dos games, e uma das novas franquias mais aguardadas é Anthem: um RPG de mundo aberto que mistura conceitos de sci-fi, como a alta tecnologia, junto com fantasia em um mundo cheio de mistérios regido perante uma força mística que vai além do conhecimento humano.

O jogo desenvolvido pela Bioware, dona de franquias como Mass Effetcs e Dragon Age, e publicado pelo selo da EA, quer levar uma experiência diferenciada ao modo cooperativo. Em entrevista ao Garotas Geeks durante a CCXP 2018, o produtor brasileiro de Anthem, Scylla Costa, revelou detalhes dessa nova promessa da desenvolvedora canadense.

Produtor Scylla Costa. Foto: Giovanna Breve

Produtor Scylla Costa. Foto: Giovanna Breve

O produtor conta que o jogo contou com diversos desafios, por tentar unir uma narrativa intrigante e o forte combate cooperativo. “Fazer um jogo multiplayer com história exige uma sincronização, então por exemplo um jogador entra na minha história, como fazer que as ações dele não afetam negativamente a minha história durante o jogo? Se um gostou de uma personagem e o outro não, como fazer para a gente jogar junto?”

Para encontrar uma solução, a Bioware adotou a frase “nosso mundo, minha história”, ou seja, é possível jogadores distintos de nível e jogabilidade cooperarem juntos, sem influenciar a progressão de cada um.

A dificuldade foi permitir que todo mundo jogue junto quando quer e também permitir que as suas escolhas sejam refletidas dentro do seu próprio mundo.

Históriaposter.jpg.adapt.crop16x9.1920wPor enquanto, a narrativa de Anthem é cercada de enigmas. Em um mundo sem nome revelado, o jogo se passa no Forte Tarcis. Até onde se sabe, o planeta foi abandonado pelos deuses, deixando para trás uma engenharia sobre-humana e a poderosa força do Anthem (ou Hino da Criação traduzido). Esse hino influência as criaturas e o ambiente do lugar.

O jogador é um Freelancers, facção que utiliza armaduras poderosas (Javalins) capazes de realizar grandes missões. Além disso, é preciso lutar contra o Domínio, um grupo militar maligno que quer dominar esse poder para uso próprio.

Jogabilidade

Anthem 1Por ser em mundo aberto, o produtor explica que o jogo de tiro em terceira pessoa possuí uma flexibilidade para diferentes tipos de jogadores, desde os que curtem uma narrativa e diálogos mais aprofundados, até aqueles que preferem focar em missões e modo batalha.

“Definimos Anthem como um ‘action ludo-shooter’, um jogo de ação com combate e parte de travessias do mundo onde o jogador voa, entra debaixo da água, a parte de ação. Mas tem uma parte de narrativa, entregue de uma forma diferenciada para quem prefere ir mais afundo.”

Anthem vai ser lançado no dia 22 de fevereiro para PC, Xbox e PS4.

Quem escreve? Gih

Jornalista, editora de vídeo e podcaster. Fala de games, coisas nerds e é uma enciclopédia de curiosidades aleatórias. É magical girl nas horas vagas e pode encontra-lá no twitter @giovannabreve falando sobre memes e gatinhos.