Saiba mais sobre as gerações do k-pop!

Que o k-pop tá no seu auge todo mundo já sabe! Grupos como Blackpink e BTS aproximaram ainda mais as pessoas da hallyu (ou onda coreana), movimento que vem ocupando cada vez mais espaço na indústria cultural. O aumento do consumo da cultura coreana (doramas, música e cinema) tem rendido bons frutos não só para Coreia do Sul e outros países asiáticos, mas também para quem tem o coreano na ponta da língua (a busca por aulas de coreano cresceu cinco vezes mais). Os MVs (clipes) batem recordes assim que vão ao ar e o Brasil não fica para trás: somos o 5º país que mais ouve k-pop, de acordo com o Spotify.

Super Junior debutou em novembro de 2005 (imagem Pinterest)

Mas você, jovem padawan da hallyu, conhece as gerações do k-pop? Por enquanto, temos 4 gerações (e contando) e elas possuem características musicais e visuais distintas. Quando uma geração “acaba” não significa que os grupos acabaram também: muitas bandas estão na estrada há anos e continuam produzindo, como é o caso do Super Junior. Segue o fio!

Primeira Geração

O k-pop já é trintão! Ele começa com grupos colocando bastante influência ocidental nas músicas. O pop, hip hop e o jazz são ingredientes importantes e a intenção era justamente internacionalizar a música coreana. Em 1992 temos Seo Taiji & Boys com a música “Nan Arayo”. Na mesma década em  1995, o produtor musical e cantor Lee Soo-man funda S.M. Entertainment seguido do ex-integrante do Seo Taiji & Boys, Yang Hyun-suk, que funda a YG Entertainment, em 1996. Como você deve ter percebido, a geração usa as iniciais como nome das empresas então o cantor Park Jin-young, funda a JYP Entertainment, em 1997.

É possível ver as influências ocidentais misturadas com referências japonesas. É um mix daquele “poperô” de academia dos anos 90 com notas de aberturas de Tokusatsus. Reparem bem nos cabelos e nas roupas: estamos nos anos 90, e é incrível.

hot-kpop-garotas-geeks
H.O.T.

Caso você queira se deliciar nesse mar de possibilidades: Seo Taiji and Boys, H.O.T., SES, Turbo, Sechskies, Fin KL, Deux, Shinhwa, Boa, G.O.D, Fly to The Sky.

Segunda Geração

Aqui  as gravadoras e agências começam a transformar o k-pop em produto de exportação. O investimento em visual, técnica vocal e coreografias de tirar o fôlego garantiram que a Coreia do Sul entrasse na pista de dança do pop mundial.

2NE1
2NE1

Importante salientar que nessa fase começam as turnês mundiais e os idols estão em todos os lugares: no rádio, na internet, nos programas de TV, e claro, nos doramas! Com o k-pop se tornando um negócio, as agências passam a ter uma organização maior para formar os grupos: começam as seleções, trainees, escolha de pelo menos um membro que fale outro idioma, aulas de canto, teatro, dança, “redesign” (as agências se responsabilizam pela repaginada visual dos aspirantes a idol, plásticas, aparelho nos dentes e o que for julgado como “necessário” para que tenham imagens deslumbrantes).

Navegue nessas águas perfeitas com: 2NE1, SNSD, KARA, SHINee, BigBang, Wonder Girls, BEG, Super Junior, TVXQ, Rain, 2PM, T-ARA,, F(X), After School.

Terceira Geração

Donos do mundo que fala? Esse momento alguns pesquisadores já chamam de Neo-hallyu.

Aqui a Coreia do Sul já foi tomada por uma infinidade de agências que investem pesado em grupos de k-pop. A fama chegou e o sucesso global também. Quem não lembra do PSY com Gangnam Style? Tem BTS, Blackpink, EXO, Mamamoo, GOT7, Red Velvet e TWICE!

Minaj e BTS
Nicki Minaj no MV Idol do BTS

Os vídeos são lançados batendo um recorde atrás do outro. Apresentações em programas internacionais. Só para você ter uma noção, recentemente o apresentador estadunidense Jimmy Fallon fez uma semana inteira de BTS no The Tonight Show. Você pode conferir aqui.

Reality Show RUN BTS
Jungkook e V no RUN BTS! reality show do BTS

Com memes a todo vapor, a internet aguarda cada MV como se fosse o lançamento de uma trilogia esperada há anos (o fã BR sofre porque é tudo no horário coreano). Cada fandom tem um apelido carinhoso: Army (BTS), Blinks (Blackpink), Ahgase (Got7), e por aí vai. As jogadas de marketing são sensacionais: lives, reality shows, teasers e lançamentos frequentes deixam o fandom com sensação de proximidade dos seus idols.

Blackpink ganhou recentemente um documentário na Netflix

Essa geração também conversa sobre tabus e saúde mental. Os visuais são fluidos e os MVs conceituais cheios de cor. As formações com rap line e vocal line são uma receita que não tem como dar errado. Os fandons se posicionam e as ideologias aparecem, comportamento característico da Geração Z (nascidos entre 1996-2010).

EXO no MV Obsession (imagem Pinterest)

Fazem parte do tsunami: BTS, EXO, Twice, Blackpink, Red Velvet, GFriend, Seventeen, Got7, Block B, Vixx, Mamamoo, Apink.

Quarta Geração e futuro

Não poderia deixar o post sem meu utt, Felix do Stray Kids

Com uma indústria consolidada e bastante dinheiro no bolso, as agências agora já planejam os grupos pensando na carreira internacional. Integrantes falando vários idiomas, chamadas de vídeos com fãs, MVs lançados com muita frequência e cheios de teasers: o k-pop está cada dia mais pop. É impressionante. Estava outro dia numa loja de tintas e tava rolando um BTS de fundo. Ali, na lojinha de tinta num bairrão de Sampa, saca?

E temos aqui mais grupos maravilhosos: ATEEZ, NCT, Stray Kids, The Boyz, (G)Idle, Loona, TXT, ITZY, ASTRO, Pentagon, entre outras.

Dentre esses sou apaixonada por Stray Kids, ITZY e ATEEZ e encerro com três clipes incríveis:

Back Door de Stray Kids:

Not Shy de ITZY:

Wave de ATEEZ:

E aí? Qual é o seu grupo favorito?

Compartilhe: