Dica de série: Wynnona Earp, uma atraente surpresa na Netflix

Wynonna-Earp-Featured


Você conhece Wynnona Earp. Você deve ter visto essa jovem pelo seu Netflix nesses dias. Mas, assim como eu, você provavelmente deve ter achado a sinopse pouco convidativa ou até mesmo uma série passável por conta da temática comum. Leigo engano, meus caros amigos.


Essa produção canadense independente teve os direitos de exibição adquiridos pelo canal SyFy americano. Criada por Emily Andras (Lost Girl e Killjoys), a história é um faroeste sobrenatural descrito como o cruzamento entre Justified e Buffy, a Caça-Vampiros. No mínimo curioso, certo?

A série acompanha Wynonna (Melanie Scrofano, de Being Erica e Damien), descendente de Wyatt Earp, que está em uma guerra contra demônios e outras criaturas. Conhecida como a herdeira e temida pelos renascidos, demônios presos na cidade de Purgatório, Wynnona, acompanhada de aliados não tão habilidosos, é a única pessoa capaz de enviar esses seres sobrenaturais de volta ao inferno. No elenco também estão Tim Rozon (Being Human US, Lost Girl, Schitt’s Creek), como o lendário vigarista Doc Holliday; e Shamier Anderson (visto em Defiance), como o misterioso Agent Dolls.

Wynnona Earp é uma surpresa. Comecei a assistir a série despretensiosa. Nada estava prendendo a minha atenção por muito tempo desde o fim de Famous in Love. Com várias séries em hiatus, eu preciso de alguma nova série para ocupar meu tempo, minha mente, minha vida.


A primeira temporada tem treze episódios divididos em dois arcos. O primeiro arco aborda o retorno de Wynnona a cidade e ela ganhando os dons de Herdeira Earp. Ela precisa matar Os Sete Renascidos, demônios ligados com uma história do passado de sua família. O segundo arco da temporada eu nem ouso contar aqui por envolver um mega plot twist e olha… Vale a pena.

A série não cansa. Eu assisti um episódio atrás do outro e quando precisava parar (por motivos de precisar dormir!) ficava com vontade de assistir mais um episódio. Sim, eu ficava ansiando tempo para terminar a série. Por conta do enredo, por conta da história e sem sombra de duvidas: os personagens.

Que protagonista, amigos! O que eu posso falar? Não podia esperar menos do canal Syfy. Van Helsing temos uma protagonista com caráter bem desenvolvido, uma presença dominante e uma ótima atriz. Isso também acontece em Z Nation e Wynonna, de longe é a minha favorita entre todas.
Ela é desbocada, nervosa, esperta, teimosa, impulsiva, corajosa, é responsável, apegada e protetora da irmã. Amo, sou e estou encantada pela atriz, Melanie Scrofano.

Mas, mesmo como protagonista, dona Wynonna consegue dividir a tela com outros três personagens secundários tão maravilhosos na proporção certinha: A sabichona e atrapalhada Waverly Earp, o misterioso e sarcástico Doc Holiday (gif abaixo) e o agente federal amorzinho Dolls.


Se você curte a temática sobrenatural, Wynnona Earp é uma escolha sem erro. Com um enredo direto, a série consegue passear entre a comédia, a ação, a aventura e o mistério na dosagem certa e todos os episódios conectam-se sem acumular assuntos ou criar os famigerados fillers e os personagens… Os personagens acompanham a nossa jornada e o final da temporada nos deixa de boca aberta e na expectativa da próxima temporada.

Quem escreve? Barbara Herdy

Escritora, blogueira, tradutora, moody, hobbit, caçadora de relíquias, 1840's Kid, gamer, hipster, Rainha perdida e Jane Austen me entenderia, mates.