Dica de anime/mangá: Shokugeki no Souma – Vamos falar sobre comida?

shokugeki-no-souma

Curte Top Chef? Garanto que vai gostar desse mangá/anime também <3

Impossível não gostar de falar de comida não é mesmo? 😛

jake-gif

É disso que trata o mangá Shokugeki no Souma: Souma Yukihira é um garoto cujo sonho é se tornar um chef melhor ainda que seu pai, dono de um restaurante. Entretanto, seu sonho se esvai quando seu pai fecha o restaurante para ir cozinhar na América com um velho amigo. Então, antes de partir, seu pai o inscreve na escola culinária da elite da cidade, onde menos de 10% dos alunos conseguem se formar. Será que Souma dará conta?

Enredo

Confesso que quando li a sinopse, eu fiquei um pouco chocada com a rivalidade (ainda que amigável) entre pai e filho, mas ela é muito bem explorada pelo enredo. Inclusive, eles costumam fazer pequenas competições chamadas “batalhas de comida” ou “batalhas na cozinha” (e por isso outro nome do mangá/anime é Food Wars). Mas aparentemente, o pai sempre vence.

Um dia, então, uma empresa chega ao restaurante com a proposta de comprar o local e construir um prédio de luxo. Nosso querido protagonista, entretanto, dispensa qualquer proposta, e revela que o lema do restaurante é sempre servir o que o cliente quiser, e só desistiriam do recinto se um dia não fosse possível fazer sua vontade. A representante da empresa, jogando baixo, invade o restaurante e estraga todo o estoque de comida, para então mais tarde aparecer e pedir um prato. Mas a força de vontade em salvar o lugar é tão grande, que Souma resolve o problema muito rapidamente, encantando a todos com seu prato.

shokugeki-no-souma-souma

Infelizmente, sua felicidade não dura muito, visto que seu pai o comunica que está indo morar na América por dois ou três anos para cozinhar junto a um velho amigo, deixando o restaurante nas mãos de Souma – o que o desanima muito, até mesmo porque seu grande objetivo sempre foi superar as habilidades do pai. MAS seu pai lhe deixa uma surpresa: uma inscrição na escola de culinária de elite da cidade, em que menos de 10% dos alunos conseguem se formar.

E é aí que a vida de Souma na cozinha ~realmente~ se inicia.

É preciso, ainda, ressaltar alguns personagens (gostaria de falar de todos, mas são muitos!). Temos Erina Nakiri, a representante de turma e, digamos assim, a anti-heroína. Sua família é da classe de alta linhagem, inclusive responsável por uma filial no ramo alimentício, e por isso costuma olhar os outros com desdém (e destruir todos os alunos que fizerem um prato que não é tão gostoso assim). Ela é uma das dez pessoas da Elite da Academia de Culinária onde estudam, e se vale disso – e muito – para tratar os outros dessa forma. Do lado oposto, temos Megumi Tadokoro, que busca aprovação da família e, claro, a pessoal também. Ela é muito boa na cozinha e possui métodos inovadores e criativos, mas não confia em si mesma, principalmente por conta de sua origem humilde – o que lhe é constantemente lembrado por alguns membros, mas atenuado por Souma quando viram parceiros. É claro, eu não poderia deixar de falar do maior rival de Souma: Takumi Aldini, um garoto muito esforçado e atento à técnica. Diversas vezes ele fala algumas palavras em italiano, sua língua nativa, e por isso é especializado em culinária italiana. Ele tem um irmão gêmeo, Isami Aldini. Por último, mas não menos importante, decidi apresentar a vocês Hisako Arato, secretária de Erina, especializada em comidas medicinais, inspirada na medicina chinesa (super natural, que evita a influência de medicamentos, optando por métodos alternativos como alimentos, chás, massagens, pontos do corpo e etc). Ela acaba puxando um pouco o comportamento de Erina, mas, no fim, tende a ser bem mais carinhosa e amigável (após aprender por duras penas).

shokugeki-no-souma-personagens

Da esquerda para a direita: Subaru Mimasaka, Alice Nakiri, Hisako Arato, Akira Hayama, Souma Yukihira, Ryou Kurokiba,Takumi Aldini, Megumi Tadokori e Erina Nakiri

O mangá, escrito por Yuto Tsukuda e ilustrado por Shun Saeki, começou a ser publicado semanalmente na Shonen Jump desde o fim de 2012, de forma que os volumes completos acabaram sendo lançados pela Shueisha. Posteriormente, em 2015, foi lançada a versão em anime, que conta com 24 episódios e um OVA.

Confira a abertura do anime: (a música combina bastante com o tema) <3

Impressões

O que mais chama a atenção em tudo são as receitas e a representação dos sabores. Os alimentos são muito bem desenhados e inclusive as receitas existem de fato: Yuki Morisaki é uma chef culinária japonesa que providenciou todas as receitas citadas no mangá (e consequentemente reproduzidas no anime). Diversas vezes me peguei querendo reproduzi-las e com muita água na boca – aquela sensação similar a quando você assiste aos episódios de Top Chef <3

shokugeki-no-souma-alimentos

O tema é algo um pouco diferente do comum e a forma como tudo foi explorado, desde as rivalidades até as perdas (sofridas!), trazem fortes emoções e sensações, e esse é o ponto mais forte do mangá e do anime.

A única crítica recai sobre o próprio gênero do anime, porque ele é classificado como ecchi. Confesso que não sou a maior fã desse gênero (nada contra, só gosto pessoal mesmo xD), mas esse em particular possui algumas cenas bem forçadas, embora sempre mantendo o caráter de leveza geralmente atribuído ao gênero (em relação a outros gêneros mais pesados). Tirando esse porém, (e se você for fã do gênero xD) todos os demais atributos são excelentes: os traços, a trilha sonora do anime, a trama e os personagens, que acabam causando aquela sensação de expectativas em cada prato que produzem. E mesmo que você também não goste do gênero, saiba que o estilo da série muda bastante após alguns episódios. Então mesmo que você ache as cenas meio bizarras, resista! Vai ficar melhor 🙂

shokugeki-no-souma-gif

Gostou? Assista o anime aqui ou aqui!

Você pode ler o mangá aqui.

Quem escreve? Mindy (Yasmim Alvarez)

Cosplayer e graduanda em Direito. Amante de World of Warcraft e Ragnarok, invencível no Super SmashBros, Batman-lover e fã de carteirinha da Princesa Zelda. Queria ser a toda-poderosa Sailor Moon (ou até mesmo a Princess Serenity) mas se contenta com a forma comum da Usagi.