Como você, jogador, ajuda a fazer um jogo?

EarlyAccess

Hoje em dia cada vez mais a gente vê maneiras diferentes de um jogo ser desenvolvido. Têm jogos que começam com crowd-funding, como o Kickstarter, têm outros que lançam uma versão Early Access no Steam, muitos jogos indies têm versões alpha disponíveis para jogar, e por aí vai.

Todas essas são formas do desenvolvedor colocar o seu jogo em contato com o público antes dele ficar pronto, e ter a oportunidade de pegar a opinião dos jogadores para melhorar o produto. Fazendo um Kickstarter dá para saber se o público aceita bem o conceito do jogo e ficou empolgado, se compraria ou não. Fazendo um jogo Early Access dá para criar uma comunidade antes mesmo de lançar o jogo e pegar feedback dessas pessoas para levar o jogo a um outro nível antes do lançamento oficial. Acima de tudo, dá para ver que é uma tendência deixar as pessoas jogarem antes, descobrir o que funcionou ou não, e melhorar o jogo enquanto pode.


nuclearthrone02

Um exemplo super maneiro é o Nuclear Throne, da Vlambeer (mesma empresa que fez Ridiculous Fishing e Super Crate Box). O jogo está disponível no Steam, no formato Early Access, e é atualizado toda semana. Um monte de gente posta na própria página da comunidade do jogo no Steam, no fórum no Steam, no Reddit … O jogo nem saiu e já fizeram um Wiki. No twitter da Vlambeer eles estão sempre anunciando as novidades do jogo, e conversando com os jogadores.
Além disso, eles fazem livestream do desenvolvimento algumas vezes por semana, e dá até pra comprar o jogo através do Twitch. Eles foram os primeiros a fazerem isso. Eu mesma comprei o jogo por lá, pois assim incluía a Subscription do canal do Twitch, com direito a todos os vídeos de making of do jogo! 🙂

nuclearthrone01

Nuclear Throne – Screenshot

Então, dá para ver que tem muito desenvolvedor fazendo esse tipo de coisa e querendo ter contato com os jogadores. Mas como você, jogador, realmente faz diferença?

FAZENDO PARTE DA COMUNIDADE DE UM JOGO

Para muita gente isso é normal, mas para outros nem tanto. Tem vários grupos de pessoas por aí que foram realmente responsáveis por moldar alguns jogos. O própria DotA é um exemplo disso: nascido de um mod de WarCraft 3, o jogo teve algumas versões diferentes e vem sendo atualizado há 10 anos. O desenvolvedor principal, IceFrog, era só uma pessoa, e mandava novas versões para um grupo de testes que o ajudava a tomar decisões de como balancear o jogo.

WCG_Malaysia_2005_DoTA_Winners

Uma foto de um campeonato de DotA em 2005, na época do WarCraft. Nessa época o jogo só existia por causa dos jogadores apaixonados!

Então, fazer parte de uma comunidade – frequentar um fórum, ou grupo de qualquer tipo –  pode ser algo bem gratificante para você, e realmente fazer a diferença para quem está produzindo o jogo!

NÃO TENHA VERGONHA DE DAR SUA OPINIÃO

Muitas vezes a gente pede a opinião para os players, mas eles têm uma certa dificuldade de compartilhar. Parece que os players, principalmente os brasileiros, não estão acostumados com essa coisa de dar opinião, feedback, etc, e que muitas vezes não pensam que eles podem ajudar a melhorar um game que eles joguem, ou que tem pessoas de verdade por trás daquilo.

Na BitCake, por exemplo, nós temos um botão bem visível de “Envie seu feedback” no nosso jogo. Quando a pessoa clica nesse botão, ela tem um campo de mensagem para preencher, e a gente pede que ela “mande opiniões, sugestões ou críticas para a equipe que trabalha no jogo”.

Por incrível que pareça, uma parte considerável dos feedbacks que a gente recebe são assim:

FeedbackPlayers_02

Ou assim:

FeedbackPlayers_01

Parece que rola uma grande necessidade de se expressar e conversar com alguém. Também tem muitos que só dão Oi:

FeedbackPlayers_05

Mas, brincadeiras a parte, a gente também recebe reports de bugs,  elogios e  críticas construtivas. Apesar disso, dá para ver que a maioria das pessoas que clica nesse botão e envia uma mensagem está fazendo  isso sem esperar nada de volta, mesmo que muitas vezes com muita vontade de conversar com alguém depois de ver o jogo. A impressão que dá é que eles nem esperam que o botão funcione, ou esperam que sua mensagem vá cair em algum tipo de limbo. Mas nós respondemos todos os e-mails (os relevantes hahaha) e, quando recebemos uma resposta do jogador, percebemos uma pessoa impressionada. Eles se impressionam por existir alguém de verdade do outro lado do e-mail, alguém que tenha realmente lido e RESPONDIDO o que eles escreveram.

Acontece que game developers são pessoas, e, especialmente os indies, são grupos pequenos de pessoas que querem muito ouvir o que seus jogadores têm a dizer! Mesmo que a gente não siga todas as sugestões (longe de ser assim), nós queremos saber o que os jogadores estão pensando.

MAS COMO SUA OPINIÃO VAI SER USADA ENTÃO?

O próprio Steve Jobs já dizia, “as pessoas muitas vezes não sabem o que realmente querem até você mostrar a elas”, e Henry Ford ficou famoso por ter dito “se eu tivesse perguntado às pessoas o que elas queriam, elas teriam dito: cavalos mais rápidos”. Portanto, nem sempre para um desenvolvedor é bom ouvir e acatar tudo que seus jogadores falam, pois não é só porque eles estão falando que aquilo é realmente o que deve ser feito. Mas, na maioria das vezes, eles vão interpretar tudo o que foi dito, e tirar conclusões com base nisso. Por exemplo, se os jogadores vivem pedindo para adicionar um mini-mapa em um jogo, isso não quer dizer necessariamente que eles precisam de um mini-mapa, mas sim que eles sentem dificuldades de se localizar no cenário. 🙂

Portanto, não deixe de dar sua opinião, fazer críticas, contar seus problemas e reportar bugs. Você vai estar ajudando o trabalho de alguém, melhorando  o jogo que você gosta, e aposto que vai se sentir muito bem com isso.

Im-so-happy-rn-meme

E aí, que jogos vocês já ajudaram, ou de que comunidades vocês fazem parte? 😀

Quem escreve? Camilla

Co-fundadora, artista 2D e designer do estúdio de games independente BitCake Studio! É apaixonada por internet, novas tecnologias e por fuxicar produtos digitais de todo tipo online. Quando não está trabalhando no jogo do estúdio, Project Tilt, tem que tomar cuidado para não se re-viciar em Pokémon!