Bethesda está fazendo jogadores trapaceiros escreverem redações sobre como trapacear é ruim

bethesda 1

Técnica anti-trapaça bem inovadora pra um jogo.

Bethesda tem informado aos jogadores suspeitos de utilizarem de trapaça em Fallout 76 que eles podem recorrer do banimento, mas só se escreverem uma redação com o seguinte tema:

Como o uso de programas de terceiros para trapaça é prejudicial à comunidade dos jogos online.

Essa abordagem, que parece mais um castigo para crianças desobedientes na escola, foi feita por meio de e-mails enviados aos jogadores banidos nas últimas semanas. Quem primeiro apontou isso foi o Youtuber JuiceHead após contatar vários jogadores que haviam sido banidos pela utilização de “aplicativos de terceiros”. Após investigar um pouco, ele parece ter descoberto que a maioria dos banimentos se deu pelo uso das ferramentas CheatEngine (editor de memória) ou Reshade (uma ferramenta de pós-processamento).

No e-mail enviado às contas banidas, a Bethesda afirmou: “Se você quiser apelar contra o encerramento desta conta, nós estaríamos dispostos a aceitar uma redação sobre ‘Porque o uso de softwares de terceiros para trapaça é prejudicial para a comunidade de um jogo online’ para a nossa equipe de gerência analisar.” Um pedaço de screenshot do e-mail original pode ser verificado abaixo:

bethesda 2

Alguns jogadores afirmaram ter sido banidos apenas por utilizarem mods que não lhes davam nenhuma vantagem, como ferramentas cosméticas. A equipe afirmou que nesse caso, eles devem entrar em contato com o suporte e que não precisariam fazer a redação.

Na mensagem encaminhada aos jogadores, a Bethesda listou uma série de programas que poderiam causar banimentos, incluindo ‘bots’, ‘speed hacks’, ‘deep-link’, ‘page-scrape’, ‘robôs’, algoritmos ou outros programas que monitoram parte dos serviços (limitados ou não ao jogo e fóruns). Também foram citados “programas que transmitam, manipulem ou distribuam dados de transmissão ou qualquer aspecto dos serviços para outro computador, servidores de sites ou outras publicações ou meios de distribuição que permitam utilizar o serviço sem o controle por um humano”.


Fonte: PCGamer

Quem escreve? Liao

Débora é musicista, pesquisadora e otaku (não fedida, prometo). 1/3 gamer, 100% sonserina. A alcunha de Liao veio de um site aleatório de geração de nomes japoneses (Liao é chinês, mas tudo bem).