Um dos mais recentes lançamentos nas bancas brasileiras, The Seven Deadly Sins é uma aventura com muita magia e comédia, digna do Rei Arthur!

The Seven Deadly Sins (Nanatsu no Taizai) é um mangá de aventura do mangaká Nakaba Suzuki publicado na revista Kodansha desde outubro de 2012. A obra já vendeu mais de 10 milhões de cópias e ainda está em andamento. Também conta com uma adaptação em anime com 24 episódios produzidos pelo estúdio A-1 Pictures. O mangá está sendo publicado no Brasil desde março pela JBC.

Era uma vez…

Num reino chamado Britania um grupo de dez cavaleiros conhecidos como “Os Sete Pecados Capitaismuito original, eu sei é procurado no melhor estilo “vivo ou morto” já que eles foram acusados de serem criminosos perigosos. Faz mais de 10 anos que ninguém tem nenhuma notícia deles, ainda assim os outros cavaleiros e paladinos insistem na busca.

mangá The Seven Deadly Sins

É nesse contexto que conhecemos Meliodas, nosso protagonista, que é dono da taverna Chapéu do Javali (lugar onde só a bebida presta…) e que apesar de parecer uma criança, fez parte dos Sete Pecados. É nesse mesmo local que ele conhece a princesa Elisabeth – uma garota bem bobinha e ingênua que quer reunir os Sete Pecados novamente para poder salvar o reino, já que este sofreu um golpe dos paladinos e digamos que a coisa está ficando feia sem a supervisão do rei. Apenas guerreiros tão poderosos quanto Os Sete Pecados poderão derrotar os Paladinos e devolver o reino à família real.

Meliodas também tem como objetivo encontrar seus companheiros e reuni-los mais uma vez, portanto ele aceita carregar Elisabeth pra cima e pra baixo em sua taverna ambulante (sério, o bar é literalmente o chapéu de um javali gigante e se locomove assim) tentando recolher informações que possam ajudá-los na jornada. Enquanto isso, batalhas e mais batalhas vão ocorrendo já que os Paladinos estão adorando serem os novos manda-chuvas e fazem de tudo pra derrotar Meliodas e prender a princesa.

mangá The Seven Deadly Sins

À primeira vista a história parece ter muito pano pra manga, apesar da premissa não ser das mais originais – vamos combinar que explorar os 7 Pecados Capitais é meio batido. O ambiente medieval e o design dos personagens é bem atraente, ainda mais pra quem curte histórias dessa época ou estilo. É algo que lembra os grandes épicos e a arte do Suzuki é muito bonita!

Mas como nada é perfeito, a dinâmica entre os protagonistas Meliodas e Elisabeth é algo que não me agradou. Digo isso porque Meliodas é pervertido – e isso fica claro desde o início. Por esse motivo ele praticamente abusa da Elisabeth com ações como tocá-la nos seios ou no bumbum e até roubar sua calcinha em um momento de distração da moça. Até então, tudo bem, estamos acostumados com marmanjos com problemas de auto controle (vide Mestre Kame), mas o real problema é que Elisabeth é uma moça inocente demais. Não, vocês não entenderam: ela é tão inocente que chega a ser irritante pra não dizer que ela é burra. Obviamente isso se trata de fanservice; é como o alívio cômico da história. Como eu disse, até o fato de Meliodas ser pervertido e tascar a mão na princesa, ainda vá lá (quem não lembra da pobre Bulma?); o que incomoda é que Elisabeth não faz absolutamente nada a respeito, ao contrário, ela realmente acredita que tatu do bem. Oks né, cada um é cada um, mas eu pessoalmente achei isso um tanto desagradável (mas confesso que tem umas cenas que são engraçadas xD). Mas pelo menos ela tem alguns pontinhos por ter se determinado a fazer alguma coisa pelo reino, nem que isso significasse fugir do palácio e ir sozinha numa perigosa jornada atrás dos Sete.

mangá The Seven Deadly Sins

A voz da razão nos acontecimentos recomendados pra maiores, é o porco falante Hawk que sempre se irrita a cada avanço descarado de seu patrão. Sim, patrão. Hawk é o porco propaganda da Taverna do Javali e o responsável pela limpeza, ou seja, comer os restos de comida que os clientes cospem no chão. E cospem porque Meliodas definitivamente não sabe cozinhar!

Conforme a história avança, os vilões – os Paladinos – vão aparecendo, assim como os outros Pecados e vamos conhecendo mais de cada um. Cada Pecado possui uma tatuagem em algum lugar do corpo que indica qual é o seu delito. Meliodas é o representante do pecado da Ira.

mangá The Seven Deadly Sins

E aí, Keyko, vale a pena?

Pra mim vale sim, principalmente se você é do tipo que adora uma aventura épica de época e The Seven Deadly Sins é um sucesso atualmente. Estou curiosa pra conhecer os outros Pecados (a gigante Diane, cujo pecado é a inveja, é um barato!). Eu rachei o bico em alguns momentos e achei a leitura fluída – não é chata e não empaca em momento algum. A história tem um ritmo muito bom e como já disse a arte é atraente e os personagens são cativantes (Elisabeth, nesse caso, não conta xD).

Eu não cheguei a assistir o anime ainda, portanto não posso falar sobre a adaptação, mas deixo vocês com a música de abertura.

Quem estiver acompanhando o mangá ou já tiver assistido o anime, conta aí nos comentários o que está achando da história! Até o próximo post! <3

https://www.youtube.com/watch?v=o7r-3CHFn3g

Compartilhe: