Os Caçadores do Coração Perdido é a comédia romântica perfeita para fãs de Indiana Jones e Lara Croft!

Scorro Mejía, mais conhecida como Corrie, é uma importante arqueóloga, famosíssima pelo trabalho que desempenha e pelo seu temperamento. Seu sonho é liderar uma expedição na selva mexicana para buscar os restos mortais do guerreiro asteca Chimalli, que acredita ser o seu ancestral. Porém, receber um convite para participar da escavação com este objetivo parece bom demais para ser verdade.

Assim, sendo a maior especialista do mundo em Chimalli, Corrie sabe que deveria liderar a expedição. Contudo, ela fica subordinada ao insuportável Ford Matthews, seu ex-colega de faculdade e maior concorrente. Apesar disso, ele não está nem um pouco animado, em razão de problemas em sua vida pessoal.

Enfim, quando a escavação começa, fica claro que terão que se unir, afinal, há um ladrão e possivelmente um informante na equipe.

Os caçadores do coração perdido

História

Desde que o avô da Corrie contou a ela que a família era descendente de Chimalli, seu objetivo principal passou a ser encontrar seu restos mortais. Depois de pesquisar o tema no doutorado, tenta reunir recursos para realizar uma expedição na selva, buscando os vestígios dele e da faca sacrificial que ele teria roubado do imperador Montezuma II.

Repentinamente, um investidor anônimo ofereceu uma vaga a Corrie numa equipe de exploração justamente com este objetivo. Parecia bom demais para ser verdade, afinal, sempre tem uma pegadinha. Neste caso, o sonho de Corrie está atrelado ao pior pesadelo que ela poderia imaginar: ser auxiliar de Ford Matthews, seu arqui-inimigo (porque ele roubou a bolsa de estudos dela 8 anos atrás e agora também está roubando a liderança do projeto que pesquisou por anos).

Apesar disso, Ford é bastante charmoso, e acabou rolando um clima entre eles. De toda a forma, é difícil trabalharem juntos, mas quando surgem suspeitas de que um ladrão de artefatos está rondando a expedição, a tensão surge. Além disso, Ford também acaba escondendo segredos que podem mudar todo o rumo da expedição e também o que Corrie pensa dele.

Impressões

Se você curte filmes como Indiana Jones e Lara Croft, com certeza este livro é para você. Não só pelo lado arqueológico, mas também pelas situações de estilo cômico e pelo arco de romance presentes na história.

É muito gratificante ver livros com protagonistas fortes, indo além do clássico estereótipo de donzela sensível e indefesa. Corrie é dona de si, sabe o que quer, não desiste com facilidade e tudo isso sem  nenhum constrangimento, exceto quando se trata de Ford Matthews, momento em que podemos ver um lado mais suave da protagonista, que também nos mostra o motivo de ela ser tão relutante em pedir ajuda – o que afasta a impressão de fraqueza presentes em personagens femininas. Assim, Corrie é uma personagem bem completa e é muito interessante ler seu monólogo interno.

Ford Matthews, entretanto, leva um pouco de esforço para gostar. Ele é um pouco idiota e alguém que tirou várias coisas de Corrie, mas coloca a culpa em qualquer pessoa, menos em si mesmo. Ele sempre tenta aproveitar todas as oportunidades, apesar de Corrie ser quem realmente fez as descobertas – o que retrata muito a sociedade em que vivemos hoje. De fato, preparem-se para ver uma espécie de redenção do personagem no final, mas poderia ter sido um pouco mais.

Por outro lado, as partes arqueológicas são realmente muito boas, especialmente por estarem mescladas com o humor. É uma história rápida, impulsionada de forma útil pelas cenas de aventura e pela infinidade de reviravoltas que acontecem. Porém, há um pouco de repetição em certas partes da história, especialmente quando estamos lendo a introspecção de Corrie ou Ford em torno de seu relacionamento.

Por fim, muito importante ressaltar que o livro contém conteúdo adulto (verifiquem a classificação indicativa!).

Os Caçadores do Coração Perdido

Vale a pena?

Os Caçadores do Coração Perdido foi uma leitura divertida. Definitivamente há partes que um pouco exageradas – e até duvidosas, especialmente no contexto de relacionamento entre os protagonistas, mas vale a pena!


Curtiu? Então leia também Dica de Leitura: O efeito Graham

Compartilhe: