Porque amamos odiar os vilões de Kim Ji-Hoon nos k-dramas

Atenção: este texto pode conter alguns leves spoilers de Jogo da Morte (Death’s Game)!

Importante: este k-drama trata de temas sensíveis que podem ser gatilho para algumas pessoas.

Quando os telespectadores conhecem Park Tae-u, interpretado por Kim Ji-hoon no thriller de fantasia Jogo da Morte (Death’s Game, no original), parece que ele é um cara legal. Ele é compreensivo quando o candidato ao emprego Yee-jae, interpretado por Seo In-guk (Desgraça a Seu Dispor), chega atrasado para uma entrevista, abalado por uma morte que acabou de testemunhar. Mas a empatia de Tae-u é apenas uma máscara. O chaebol privilegiado na verdade não se importa com mais ninguém e nem atribui muito valor à vida humana. Ele está interpretando um papel para disfarçar seus próprios instintos assassinos. Tae-u é o tipo de vilão de k-drama que os telespectadores adoram odiar — especialmente quando o genial Kim Ji-hoon os interpreta.

Num primeiro olhar, o personagem de Kim Ji-hoon parece uma criaturinha empática

Antes de assumir o papel em Jogo da Morte, Kim apareceu em dezenas de dramas de TV e alguns filmes, ganhando uma variedade de prêmios de atuação. Sua transformação vilanesca como um serial killer no thriller de 2020, Flor do mal (Flower of Evil, no original), lhe rendeu uma indicação ao prêmio de Melhor Ator Coadjuvante no 57º Baeksang Awards, mas também lhe rendeu uma base de fãs ainda mais ampla. Ele seguiu o caminho interpretando um traficante de drogas e que comete crimes de abuso no filme Ballerina (2023). Ele é muito bom em interpretar personagens ruins e ele acredita que é porque tem que se esforçar muito.

“Ironicamente, porque eu pensava que não tinha muito de um vilão dentro de mim, criei desesperadamente os personagens e me preparei ferozmente para a atuação,” disse Kim. “Eu me esforcei tanto que eu poderia dizer que coloquei minha alma em cada vilão e acho que isso pode ser o motivo pelo qual muitas pessoas tiveram uma boa reação. Vilões fazem muitas coisas ruins, então eles podem se destacar mais no fluxo do narrativo e fazer coisas incomuns, então certamente existem partes interessantes para atuar.”

Ji-hoon em Flor do Mal – parece até gente

Kim queria que suas cenas no drama mostrassem um lado realmente assustador de si mesmo. Quando os telespectadores lhe diziam que estavam assustados com as cenas, ele achava divertido e gratificante. Tentar criar um personagem com partes dele que ele não achava que existiam — e também criar um vilão diferente do anterior — o ajudou a crescer como ator.

“Com tudo que já experimentei na vida e com o que não vi pessoalmente, mas vi e ouvi, usando esses ingredientes transformei Park Tae-u em 2D no roteiro em 3D,” disse Kim. “Como uma impressora 3D. O roteiro era o plano, então li e reli o roteiro inúmeras vezes. Quanto mais fundo eu ia no roteiro, mais detalhado parecia se tornar.”

Uma leve reunião de gente bagunçada das ideia (Jogo da Morte)

Quando Yee-jae não consegue o emprego na empresa de Tae-u, ele toma uma decisão séria, pensando que tudo acabaria em questão de minutos. A Morte, interpretada por Park So-dam (Parasita, 2019), não está pronta para enviá-lo a lugar algum. Ela decide que ele vai experimentar 12 vidas em corpos diferentes. Enquanto Yee-jae passa por vidas, ele aprende que Tae-u é uma parte fundamental do quebra-cabeça que ele deve resolver. Enquanto Yee-jae aprende lições sobre o valor da vida humana, Tae-u fica intoxicado pela ideia de matar. É um desafio e tanto interpretar um personagem cujas ações na vida real o repeliriam.

“Park Tae-u é um ser humano que sente alegria e prazer no próprio assassinato,” disse Kim. “Talvez porque ele tenha nascido com tudo, outras emoções ficaram sem brilho e o mundo se tornou chato? Após experimentar o gosto por sangue, acho que ele sentiu como se seu mundo preto e branco se transformasse em um mundo colorido. As pessoas podem sentir repulsa, mas para Park Tae-u, deve ter sido mais agradável e emocionante do que qualquer outra coisa no mundo. Pensar do ponto de vista de Park Tae-u  me ajudou a resolver tudo.”

Ji-hoon com Oh Jung-se, o homem que inventou a atuação, simplesmente o maior

Em Death’s Game, Tae-u interage com as muitas vidas de Yee-jae, interpretadas por atores que incluem Lee Do-hyun, Choi Si-won, Jang Seung-jo, Lee Jae-wook, Oh Jung-se e Kim Jae-wook (não por acaso apontam o elenco este drama como um dos mais caros e sensasionais da história). Em suas cenas com Kim Jae-wook, seu personagem encontra outro psicopata, que pode ser ainda mais louco do que ele. Seu encontro resulta em uma sucessão de cenas sangrentas em que Kim Ji-hoon pode ser seu vilão e também sua vulnerabilidade.

Parte do incrível elenco de Death’s Game (2024)

“Como esperado, eu gostei das cenas que atuei com Kim Jae-wook e elas foram memoráveis,” disse Kim. “Existem dias em que você filma e atua e as coisas não saem como deseja, e existem dias em que situações, adereços ou a atmosfera o ajudam a atuar, e a cena ensanguentada com Jae-wook foi a última. Foi uma filmagem muito cansativa fisicamente e mentalmente, mas tive uma boa química com ele e foi um dia em que pude me concentrar mais na minha atuação. Como resultado, acho que a cena conseguiu causar um bom impacto nas pessoas. A cena no drama pode ser assustadora, mas se você assistir ao vídeo dos bastidores no YouTube, verá que foi filmada em uma atmosfera muito agradável.”

O dono da versatilidade, Jae-wook: quem diria que esta fofura de ‘Cofee Prince’ e ‘Her Private Life’ poderia ser tão malvadão

Jogo da Morte é baseado no webtoon Yije Got Jookseummida, que foi publicada de 2019 a 2020. Kim achou o webtoon original interessante e ficou impressionado com a adaptação para o drama. O protagonista do drama aprende que o suicídio não é um crime sem vítimas e vê como sua escolha afeta aqueles que o amavam e apoiavam. Kim achou que era uma boa história com uma mensagem valiosa.

“Acima de tudo, foi mais atraente experimentar uma história muito emocionante sem tempo para ficar entediado e o final pareceu um grande plot twist,” disse Kim. “Além de tudo isso, havia motivo suficiente para escolher este projeto apenas por causa da mensagem no final deste drama. Senti que todos poderiam se relacionar com essa mensagem, independentemente de raça e país, e que era um drama que poderia salvar vidas, então eu queria participar independentemente do papel.”

Para Kim, a parte mais agradável de atuar é ter a oportunidade de enfrentar novos desafios com novas pessoas em projetos diferentes.

“É por isso que sempre tenho que começar com ansiedade e tensão,” disse Kim. “Isso poderia ser um grande estresse para algumas pessoas, mas é um trabalho muito feliz para mim porque sempre gosto de novos desafios. Minha mente ansiosa e nervosa trabalha duro em um projeto, e sinto um senso de recompensa e realização quando há bons resultados. Esta é a minha força motriz na minha vida de ator.”

Sobre Jogo da Morte, nós por aqui recomendamos 100%. É um k-drama absolutamente fascinante e cada episódio é um plot twist atrás do outro.

Onde assistir: Prime Video

Fonte: Forbes

Leia mais sobre dramas asiáticos aqui no Garotas Geeks!

Compartilhe: