The Cat Lady: jogo sobre depressão extremamente bizarro e bonito

the cat lady

É sério, nunca joguei nada tão estranho que tenha me emocionado tanto antes.

The Cat Lady é um jogo que descobri acidentalmente na Steam que me surpreendeu do começo ao fim. Já costumo gostar bastante de games indies, porque costumam ter mais liberdade para inovar e fazer algo diferente, mas este jogo é definitivamente uma joia entre as joias. A história começa com o suicídio de Susan Ashworth, uma mulher de meia idade que é vista como ~a louca dos gatos~ pelos vizinhos. Na carta de despedida, ela fala que está de saco cheio do mundo, e que a única coisa boa que ela tinha eram seus gatos, porém ela descobre que não encontrará nenhum conforto na morte. Quer saber mais? É só dar play neste vídeo que fiz sobre o jogo (sem spoilers):

Um detalhe que acabei esquecendo de mencionar no vídeo é a relação entre os gatos e a doença de Susan – um ponto importante, afinal, o jogo se chama The Cat Lady. Tenho dois cachorros e três gatos, mas já tive outros cachorros e outros gatos antes, e por isso sei que mesmo havendo grandes particularidades de cada animalzinho (só quem tem sabe como cada um deles é único), há comportamentos que são padrão e que acabam diferenciando cachorros e gatos. Gatos costumam ser menos efusivos e animados do que cães, isso não significa que eles te amam menos por isso (de jeito nenhum), é apenas uma característica deles. E é justamente essa particularidade que faz com que pessoas depressivas muitas vezes se atraiam mais por gatos, já que cachorros acabam exigindo muito mais de seus donos em questão de atenção e cuidados – e sabemos que pessoas com depressão às vezes não têm forças nem para sair da cama ou tomar banho, então é um preferência natural. Por outro lado, mesmo sendo mais “contidos”, a pessoa que tem um gatinho se sente muito amada por ele, e até mesmo especial (pois nós mães e pais de gatos sabemos que muito raramente eles vão se entregar a um desconhecido). Então a presença dos gatos no jogo e, claro, no título, são uma grande representação da personalidade de Susan e como ela se sente em relação ao mundo.

Toda terça-feira vamos colocar uma dica geek em nosso canal, pode ser de jogo, série, filme, HQ, livro, ou o que mais acharmos que pode ser legal! Para não perder, clica aqui e se inscreve (e lembre de ativar as notificações 😀 ).

Quem escreve? Marina Formaglio

Jornalista, aspirante a escritora e invocadora nas horas vagas. O apelido "Feiurosa" é uma homenagem à sua alma gêmea canina, uma vira-latinha chamada Feiura, que já partiu, mas continua em seu coração <3 Contato no Facebook ou Twitter.