Que o RPG é um universo praticamente masculino, a gente já sabe. Que é muito raro grupos de jogadores formados exclusivamente por mulheres, a gente também já sabe. Mas quem é que conhece o sistema em que todos os personagens são mulheres gostosas, competentes, fortes e ágeis, à lá Lara Croft?

Macho Women with Guns, lançado no Brasil com o título ‘Mulheres Machonas Armadas até os Dentes’ é um RPG de humor, simples e despretensioso, em estilo satírico trash. O jogo faz sátira de outros RPGs, e de filmes de ação dos Anos 80, em que gostosonas destroem todo tipo de criaturas bizarras, sem desmanchar o penteado, e acordam maquiadas e sempre prontas para a luta.

Em suas 12 páginas em preto e branco, o livro básico de MMAD apresenta as regras, todos os itens usados para montar uma personagem, uma aventura completa (“um pesadelo lovecraftiniano”), ficha de personagem e até folhas de hexágono para contar a movimentação em combate.

mulheres machonas armadas até os dentes

As personagens são montadas com 70 pontos para gastar entre Atributos e Perícias, podendo adquirir desvantagens para aumentar a pontuação. Os testes são feitos com três D6. Os Atributos são Força, Destreza, Vitalidade e, é claro, Visual e Macheza. Visual é o quão atraente a personagem pode ser e a Macheza pode ser entendida como uma mistura de coragem, inteligência, determinação e presença de espírito.

Para sobreviver, as personagens utilizam as Perícias: Correr de Salto Alto, Atirar com armas grandes, Atirar com armas pequenas, Atirar coisas, Acertar coisas, Acertar coisas com outras coisas, Saltitar, Seduzir criatura, Voar em coisas, Dirigir coisas e Manjar aparelhagem técnica.

Para finalizar, há ainda os Pontos de Personagem, vantagens e desvantagens que dão ainda mais graça a toda essa zoação: Cirurgião plástico a disposição, Pele de teflon (criaturas gosmentas desgrudam no turno seguinte), escritora de roteiros (para rolar novamente cenas que não pareceram boas), Fraqueza pessoal (como medo de coisas nojentas), Paixão Secreta (dificuldade em revidar ataque de seres fofinhos ou sósias de celebridades), Tronco Volumoso (a personagem precisa de se apoiar para atirar em alvos baixinhos) e Muito Sensível (por causa da pele delicada, a personagem só consegue usar armaduras de até 1 Crg).
planilha_mmaad
Os “monstros” e criaturas enfrentados pelas Mulheres Machonas são divididos em quatro categorias: Bonitinhos mas letais; Estúpido e lento mas ainda assim letal; Médio e Feio e Apenas Esquisitos. Os inimigos costumam ser coelhinhos, cachorrinhos e gatinhos letais, nerds, porcos chauvinistas tarados, crentes radicais, entre outras criaturas igualmente estranhas.

O jogo Macho Women with Guns foi criado por Greg Porter e lançado pela Blacksburg Tactical Research Center (BTRC), em agosto de 1988. A versão brasileira foi lançada pela Devir em 1994. A editora brasileira também publicou três suplementos: Panteras Infernais com Asas de Morcego, Freiras Renegadas e suas Máquinas Maravilhosas e Mulheres Machonas no Planeta dos Macacos (Suplemento produzido no Brasil, mostra como o mundo seria um lugar melhor se os macacos governassem a Terra e as Mulheres Machonas os combatessem).
Mulheres Machonas2
Ainda em 1994, foi lançado Macho Women with Guns 2º Edition combinando e expandindo o material anterior. Foram publicadas ainda algumas aventuras, pequenos suplementos, e até um Card Game: Fun Guys from Yuggoth: The Macho Women Card Game. Em 2003, a editora britânica Mongose adaptou o MAAD para o sistema D20 e lançou três suplementos: Macho Women with Guns – Diet Edition, Adolf Hitler – Porn Star, e The Sex Presidents.

MMAD tem como cenário uma sociedade que entrou em colapso devido aos atos da administração de Ronald Reagan, presidente dos EUA de 1981 a 1989. Aproveitando o caos, o Diabo envia as Panteras Infernais com Asas de Morcego para reconstruir a sociedade à sua maneira. Para combater as criaturas demoníacas, o Vaticano envia as Irmãs de Nossa Senhora da Harley-Davidson, o grupo de elite de freiras guerreiras. O conflito deste dois grupos, que lutam entre si e contra o perigoso Machismo, causam deformações dimensionais que abrem portais para outras realidades do “Machoverso”. Mas essa história não é contada no primeiro livro MMAD e aparece somente nos suplementos.

Neste mirabolante cenário que mistura elementos de ficção científica, fantasia e pós-apocalipse combatem juntas astronautas, freiras motoqueiras, guerreiras tipo Sonja e Xena, com seus corpos esculturais e sempre vestidas com trajes sensuais.

Como dá pra perceber, este não é um jogo para ser levado à sério. É um daqueles bons RPGs que garantem pura e simples diversão sem compromisso.

Compartilhe: