Review do game Outlast 2: do céu ao inferno

Outlast-2-Gameplay

Frase que define o game: AVE MARIA CHEIA DE GRAÇA

Outlast surpreendeu a todos quando foi lançado (2013), e na minha opinião, foi o melhor jogo de terror de todos. A história é muito bem trabalhada, assim como a mecânica de fuga, e o medo que causou em mim. Quando foi anunciado que teria um segundo game, confesso que fiquei relutante, achando que não teria jeito de ser um título melhor do que o anterior. E eu paguei a minha língua, porque eles conseguiram.

Trata-se do game mais assustador de todos os que eu já joguei na vida. Em alguns momentos, eu chorei de susto. E eu não estou brincado T.T

Este susto não é nada, meus caros

Este susto não é nada, meus caros

ATENÇÃO: O jogo possui temática pesada e violência.

Outlast 2 chegou com uma temática bem mais sórdida, desta vez, elencando tópicos como a religião. No papael de Blake Langermann que sobre uma colisão do helicóptero juntamente com sua esposa Lynn. Depois de se recuperar da queda, tenta encontrar sua parceira perdida em uma região árida, isolada, cheia gente louca. Isso mesmo, gente doida! Não há outras palavras para descrevê-las.

Assim como no primeiro game, você terá que fugir dos inimigos sanguinários que querem te matar, apenas com o auxílio de sua câmera e alguns curativos (e as malditas pilhas, que você nunca encontra quando precisa!)

Mas, gata, por que o Blake está sendo perseguido?

Simples: nesta vila (que mais parece aqueles vilarejo horrorosos da Idade Média na época da Santa Inquisição) existe a profecia de que o próximo bebê que nascer será o Anticristo e seu nascimento causará um apocalipse. Assim, todas as mulheres que estão grávidas são mortas, assim como os homens que conceberam as crianças. E adivinhem quem está grávida? Isso mesmo, Lynn. Só que o Blake não sabia até então…

Por este motivo, Lynn foi raptada antes que o bebê nascesse, e a sua função como Blake é encontrá-la e ajudá-la a fugir do local, enquanto você foge dos loucos que tentam te matar também (e desvia de corpos de adultos e crianças mortos das formas mais horrendas que você pode imaginar. Tem até cenas de morte causadas por tortura).

outlast-2-review-5

outlast-2-review-13

Atenção: imagens fortes, clique para ver.

clique para ler ALERTA DE SPOILER:

[caption id="attachment_127416" align="aligncenter" width="600"]É um monte de recém nascido morto. Sim. Que medo. É um monte de recém nascido morto. Sim. Que medo.[/caption]

outlast-2-review-11

Desta vez, me senti ainda mais imersa, e o game tem suporte em português (AEEEE)! Isso facilita muito, pois no decorrer do título, o protagonista encontra cartas escritas pelos mortos, e salmos, advindos do profeta Sullivan Knoth, que tem como base o Novo Testamento de Ezekiel, considerado uma das representações da vontade do Anticristo.

Além disso, o jogo traz uma situação diferente do game anterior: o protagonista, por diversas vezes, volta ao passado, para a época da escola, quando estudava em um colégio católico. Durante esses momentos, você acompanha a trajetória dele e de sua colega Jessica, uma garota que se suicidou dentro do colégio. Com isso, você descobre qual a sua relação com o suicídio e como ele ocorreu (enquanto, é claro, você foge de um monstro horrível que está em todos os lugares e, ao mesmo tempo, em lugar nenhum).

outlast-2-review-10

outlast-2-review-12

Atenção: imagens fortes, clique para ver

clique para ler ALERTA DE SPOILER:
outlast-2-review

outlast-2-review-9

Uma vez que se trata de um game de sobrevivência, é claro que você vai acabar se escondendo em armários e embaixo das camas, mas desta vez, é possível se esconder em barris (e até aqueles que já estão cheios de água!). Felizmente, o jogo ficou mais real neste ponto, de modo que os inimigos realmente abrem os armários e barris e olham embaixo das camas para ver se te encontram.

Outro ponto interessante é que é possível trancar as portas (ou destrancá-las) para se esconder (ou ganhar tempo enquanto você foge), ou se esconder embaixo da água, contando, é claro, com um certo tempo para que o personagem não fique cansado (o que ocorre, por exemplo, se você corre por tempo demais).

Ademais, o game nos dá um novo recurso para nos ajudar a nos esconder (por favor né gente, o game está dez vezes mais difícil), que é um microfone. Através dele, você escuta a voz dos inimigos, que ficam rezando o tempo todo em voz alta (ou cantando músicas aterrorizantes), e pode ouvir seus passos. Assim, fica mais fácil excluir alguns dos caminhos dos recorrentes labirintos, sem ser morto.

Vale comentar que as mortes são brutais, já que acompanham a temática do jogo. Os inimigos te matam com estacas, te enforcando ou até mesmo te crucificando, sempre contando com muito sangue e violência.

outlast-2-review-2

Atenção: imagens fortes, clique para ver.

clique para ler ALERTA DE SPOILER:
outlast-2-review-3

Também existe o recurso de gravar as coisas com a câmera, o que ajuda muitas vezes quando você não sabe o que fazer: depois, é só ver o vídeo gravado e sempre terá uma dica de onde ir.

O cenário é um ponto bem interessante no jogo, deixando de se limitar apenas ao interior de uma igreja, por exemplo, como ocorria com o game anterior, que girava apenas dentro (e um pouquinho fora) do manicômio abandonado. Aqui, você explora plantações, estradas, rios, minas subterrâneas, igrejas e a escola.

Inclusive, eu não podia deixar de falar da beleza das cenas. É um pouco estranho atribuir o conceito de beleza a um jogo de terror, mas é necessário fazer um parênteses para Outlast 2, que investiu muito nas cenas de sangue. As poças, os machucados, os órgãos à mostra, as pessoas machucadas, tudo isso causa uma atmosfera de terror bem forte no cenário.

Isso, em conjunto com a trilha sonora, nos deixa praticamente chorando de medo. Aliás, confesso que em diversas partes eu joguei no mudo, mas a música ajuda algumas vezes, principalmente quando você não tem certeza se algum inimigo te viu…

Cena em que você precisa correr engatinhando e esta coisa está atrás de você

Cena em que você precisa correr engatinhando e esta coisa está atrás de você

Esta plantação é seu refúgio, amém.

Esta plantação é seu refúgio, amém.

Atenção: imagens fortes, clique para ver.

clique para ler ALERTA DE SPOILER:
outlast-2-review-4

Vale a pena?

VALE! Sinto muito para aqueles que queriam definir Resident Evil 7 como o jogo mais aterrorizante do ano, mas Outlast 2 ganha de lavada. Não que eu não tenha curtido o Resident Evil (em verdade, foi o melhor da franquia até agora, em minha opinião), mas Outlast 2 é muito mais surpreendente. Não há como você se defender, por exemplo, o que nos deixa com a adrenalina ainda maior.

Definitivamente, Outlast 2 é o melhor game de Survival Horror até o momento. Lembrando (nunca é demais né gente) que o jogo é bem violento e não é aconselhável para menores de 18 anos (O jogo foi banido na Austrália!). O game já pode ser encontrado para Playstation 4, PC e Xbox One 🙂

Se for jogar, prepare uma proteção.

Sugestão: caso queira ver o gameplay, sugiro este.

Quem escreve? Mindy (Yasmim Alvarez)

Cosplayer e graduanda em Direito. Amante de World of Warcraft, invencível no Super SmashBros, Batman-lover e fã de carteirinha da Princesa Zelda. Queria ser a toda-poderosa Sailor Moon, mas se contenta em ser apenas uma princesa da Disney nas horas vagas