Os Thundercats estão de volta, mas não exatamente da forma que vocês esperavam!

thundercats roar-capa

Anunciada pela Entertainment Weekly na última semana, a animação traz de volta às telinhas o desenho dos anos 80 sob o título de Thundercats Roar.

tcats-roar-series-poster

Apesar de o formato do show ainda não ter sido revelado, já sabemos que o desenho terá um estilo radicalmente diferente (e alguns poderiam dizer estranho) para Lion e sua turma. Além disso, o estilo cheio de ação característico da série original será mantido, mas os elementos de comédia estarão mais presentes do que nunca. O vídeo abaixo dá uma ideia do que podemos esperar da série, mostrando o que já está acontecendo por trás das cenas:

O que dizem os produtores?

A equipe de dubladores americanos conta com Max Mittelman (de Persona 5) como Lion-O e Wilykat, Erica Lindbeck como Cheetara e Wilykit, Patrick Seitz como Tygra e Mumm-Ra e Chris Jai Alex como Panthro. Mas mesmo com a influência dos desenhos de comédia e a mudança drástica no estilo de animação, a Warner e o Cartoon Network parecem estar fazendo o máximo possível para que os fãs da série original percebam que ainda há muito da série na nova animação, como é possível perceber na sinopse:

Mantendo-se fiel a história da série original, Lion-O e os ThunderCats (Tygra, Panthro, Cheetara, Wilykat e Wilykit) escapam por pouco da destruição de sua terra natal, Thundera, e acabam tendo um pouso forçado no misterioso e exótico planeta da Terceira Terra. Lion-O, o recém-nomeado Senhor dos ThunderCats tenta liderar o grupo em uma missão para tornar esse estranho planeta em seu novo lar. Mas um bizarro grupo de criaturas e vilões estarão em seu caminho, incluindo o malvado Mumm-Ra, o sinistro governante da Terceira Terra, que não deixará que nada, nem mesmo os ThunderCats, atrapalhem seu reinado tirano sobre o planeta.

Vamos conversar sobre?

Seria desnecessário dizer isso, mas vamos mesmo assim. Desde o dia do anúncio, a internet foi inundaaaaaaaaaaaaaaaaada por comentários criticando duramente ou elogiando bastante a série. Enquanto isso:

33250534_1711087038969541_1887251914542809088_n

A internet foi então dividida: de um lado o povo que odeia essa tendência de estilização e queria que tudo assim fosse extinto e do outro o povo que curte e até se empolga com as novidades. Muita gente comentando coisas como “agora é só esperar o povo saudosista que nem consome mais desenho animado destilando hate em cima” e muita gente comentando coisas como “reboot desnecessário cashgrab” e “animação com falta de criatividade”. Lá do outro lado da treta, tem gente comentando que “as mesmas pessoas que estão reclamando de Thundercats Roar são aquelas que não deram valor ao Reboot de 2011 que era incrível e fizeram ele ser cancelado”.

Tem muito artista defendendo o reboot, inclusive:

Tem gente falando que esse argumento de “ah, mas o traço é sempre igual” não vale muito não:

E a gente aqui entende um pouco o sentimento de todo mundo.

Mas acontece que eu, pessoalmente, gosto de balancear bem as coisas sem me deixar levar por sentimentos que podem me fazer menos imparcial, como o “nostalgismo”. É natural que as pessoas mantenham vínculos fortes com coisas que foram fonte de diversão na infância e a tendência é que essas coisas sejam mesmo defendidas com unhas e dentes. No entanto, ao menos para mim, achei a proposta inicial do novo reboot coerente. Isso porque sou desencantada da nostalgia, não acho que uma animação nova vai trazer a mesma sensação que uma animação lá das antigas trazia. Daí, se acontecer, fico no lucro! Não acho que nenhuma infância será estragada por causa do reboot, primeiro porque obviamente quem já não gostou não verá e segundo, porque o público-alvo não somos nós mais e a gente tem que aprender a aceitar isso. A gente vive num ciclo eterno de mudanças, seus pais vivenciaram as mudanças nos desenhos da época deles para a época em que você estava crescendo. Agora estamos ficando adultos e essas mudanças continuam acontecendo. É como bem afirmou o pessoal do Amigos do Fórum:

Na infância tudo é mágico e nossos parâmetros do que é bom ou ruim ainda não existem (alguns nunca chegam a desenvolver, é verdade), sendo assim, acabamos presos em uma memória afetiva que nos faz repetir a frase de nossos pais: “no meu tempo era melhor“.

Não era. Arte e indústria se misturam cada vez mais e juntos evoluem, se transformam e se adaptam ao gosto atual, gosto esse cujo o público consumidor alvo é quem vai ditar tal adaptação. Sendo assim não existe “filme de super herói infantil demais“, o que existe são adultos tentando se apropriar de um produto que não foi feito pensando exclusivamente neles. É por isso que eles vivem se chateando.

Eu sou da época de desenhos como Ruppert, As Aventuras de Tim-Tim, Os Camundongos Aventureiros, Onde Está Carmem Sandiego, Caverna do Dragão, As Aventuras do Pequeno Príncipe. Quando sinto falta deles (e sinto muita), revejo. Também estou sempre vendo coisa nova, seja anime de temporada ou lançamentos de desenhos ocidentais. O que importa pra mim nisso tudo é ser crítico com o que se tem, RESPEITAR as opiniões contrárias às suas (PRINCIPALMENTE) e aceitar que as coisas do passado não voltam.

Ainda existirão muitas outras animações mais.

Como um adendo, o artista do Bom dia e Tal também falou algo que achei relevante postar:

Quando você passa a acompanhar as animações atuais sem preconceito dá pra perceber como as coisas novas são feitas com o mesmo esmero que as de antigamente, só que com outro público em mente.

Ele continuou a discussão no twitter dele:

¯\_(ツ)_/¯

De qualquer forma, ThunderCats Roar será lançado pelo Cartoon Network em 2019.

33057407_10156148099216138_3327697011188170752_n


Texto traduzido e adaptado da io9.

Quem escreve? Liao

Débora é musicista, pesquisadora e otaku (não fedida, prometo). 1/3 gamer, 100% sonserina. A alcunha de Liao veio de um site aleatório de geração de nomes japoneses (Liao é chinês, mas tudo bem).