Onde mora a internet?

google_ copy

Na nuvem? No World Wide Web? No Hypertext Transfer Protocol?
Na verdade, a internet mora em vários lugares, desde as águas finlandesas de Hamina ou nas fábricas da cidade de Lenoir, na Carolina do Norte. É lá que ficam os data centers do Google, e por onde os dados do seu computador provavelmente já passou.
O Google decidiu abrir as portas e mostrar o que existe por trás dos seus data centers localizados em 8 cidades diferentes: Berkley County (SC) , Council Bluffs (Iowa) , The Dalles (Oregon) , Douglas County (Geórgia) , Hamina (Finlândia) , Lenoir (Carolina do Norte) , Mayes County (Oklahoma) e St. Ghislain (Bélgica).
É lá que estão os servidores que indexam mais de 20 bilhões de páginas por dia, 3 bilhões de buscas diárias e e-mail gratuito a 425 milhões de usuários do Gmail. (Tá bom ou quer mais?)
O Google possibilitou que o mundo pudesse conhecer mais de perto a internet física, e como tudo isso é armazenado em seus servidores.
Dá só uma olhada em algumas das fotos: (clica que aumenta!)

Uma rara imagem por trás do corredor de servidores. Aqui, centenas de ventiladores canalizam o ar quente dos racks de servidores em uma unidade de refrigeração para ser distribuído novamente. As luzes verdes são os LEDs de status do servidor refletindo na frente dos servidores.

Cada um de nossos racks de servidores tem quatro switches, conectados por um cabo de cor diferente. Essas mesmas cores são mantidas em todo o centro de dados para que possam saber qual cabo deve ser trocado em caso de falha.

Os LEDs azuis nesta fileira de servidores dizem que tudo está funcionando perfeitamente. Os LEDs são utilizados porque eles são eficientes em relação ao consumo de energia, duradouros e brilhantes.

Milhares de metros de tubulação revestem o interior dos centros de dados. Elas são pintadas com cores vivas não só porque é divertido, mas também para especificar cada uma delas. A tubulação rosa-choque nesta foto transporta a água da fileira de refrigeradores (as unidades verdes à esquerda) para uma torre de refrigeração externa.

Como parte do compromisso do Google em manter os dados dos usuários seguros, todas as unidades que apresentam falha são destruídas por lá mesmo.

Dentro da sala de rede do campus, roteadores e switches permitem que os data centers se comuniquem. As redes de fibra óptica que ligam as unidades conseguem funcionar em uma velocidade 200 mil vezes mais rápida que uma conexão de Internet residencial comum. Os cabos de fibra correm ao longo das bandejas de cabo amarelo próximas ao teto.

As tubulações não são os únicos objetos coloridos nos data centers. Estes cabos são organizados por tonalidade específica. Isso torna tudo menos técnico: “Me dá um azul”.

O data center em Council Bluffs oferece 10.684 metros quadrados de espaço. O Google aproveita ao máximo cada centímetro para que você possa usar serviços como o YouTube e a Pesquisa da maneira mais eficiente possível.

Para quem quiser conferir as fotos por completo, pode clicar aqui e ver o restante das fotos da galeria com mais detalhes. E para quem quiser ir além, o Google disponibilizou um tour pelo Street View dentro dos seus data centers! Clique aqui e divirta-se! (:

Quem escreve? Tammy

Jornalista, pedreira, uma das fundadoras do Garotas Geeks e desbravadora de indie games. Muda a cor do cabelo 1 vez por mês, é a encarnação humana do Snorlax e faz cospobre de Pikachu nas horas vagas. Me encontre em qualquer lugar com o @tammynhoca :)