O Senhor dos Anéis terá uma série prequel e aqui está o que já sabemos sobre ela

aragorn-lord-of-the-rings-capa

Os fãs de LOTR estão em festa! 

Criar uma série contando mais histórias que aconteceram antes da trama principal de O Senhor dos Anéis parece uma boa ideia? Essa pergunta ainda não parece ter uma resposta, mas desde que a Amazon anunciou a produção de uma nova série para TV baseada na obra de Tolkien, em 2017, a resposta parece estar mais próxima. De um lado, retornar para a Terra Média parece ser a forma perfeita de esquecer do nosso pouco empolgante presente. A trilogia original de Peter Jackson, baseada nos livros de Tolkien é quase uma unanimidade entre os fãs. A nostalgia também tem esse poder, e revisitar esse mundo fantástico pode ser uma ideia muito empolgante.

Mas se levarmos em consideração a forçada trilogia de Peter Jackson com relação a O Hobbit, podemos ser levados a pensar que mais uma tentativa de recapturar a magia inicial da série pode ser uma tarefa impossível. Além disso, a série proposta pela Amazon soa bastante ambiciosa nesse sentido, e tendo em vista que a produção parece bastante acelerada para um trabalho com tantos obstáculos, o que pode levar a um gigantesco fracasso. Ou poderia acabar se tornando um evento cultural ao estilo Game of Thrones, uma série que arrebenta os portões e surpreende todo mundo. Uma coisa porém é certa: a série tem bastante potencial para explorar, e caso seja bem feita, pode ser a maior de todos os tempos para a televisão.

Então, enquanto não temos grandes novidades, que tal avaliarmos o que já sabemos sobre ela?

1. A Amazon pagou 250 milhões de dólares (quase 1 bilhão de reais) pelos direitos da série

Lord-of-The-Rings-Fellowship-of-the-rings-615x346
Após entrar em uma guerra de lances com a Netflix, a Amazon conseguiu comprar os direitos da série de Tolkien pela bagatela de quase um bilhão de reais, em uma negociação que envolveu a família Tolkien, a HarperCollins (editora de publicação da obra) e a New Line Cinema (que produziu os filmes dirigidos por Peter Jackson). De acordo com relatos, o gigantesco acordo firmado em 2017 incluiu um compromisso de cinco temporadas e o prazo máximo de dois anos para o início da produção. Como o prazo está quase vencendo, é possível que tenhamos novas informações em breve.

2. A série pode ser a mais cara de todos os tempos entre as produções para televisão

Se a compra dos direitos já envolveu valores colossais, os custos com elenco e produção, segundo estimativa, devem superar a casa de 1 bilhão de dólares (quase 4 bilhões de reais). Enquanto buscava os direitos sobre os livros, Jeff Bezos, da Amazon, afirmou para sua equipe que queria encontrar o “próximo Game of Thrones”. E sua estratégia é a de investir alguns bilhões de dólares em um mundo de fantasia que todos nós já amamos. Mas será que o investimento vai valer a pena? Os números envolvidos são muito altos para uma série que ainda nem saiu do papel.

3. A série terá foco na juventude de Aragorn

Em maio do ano passado, a página TheOneRing.net noticiou que de acordo com “diversas fontes”, a série da Amazon teria como foco um jovem Aragorn, personagem de Viggo Mortensen na trilogia original. Eles ainda afirmavam que a série não cobriria a Guerra do Anel, como aconteceu na obra de Jackson, e sim teria como foco os apêndices dos livros, que contavam a história da família de Aragorn e seu papel como herdeiro de Isildur e rei por direito de Gondor.

Apesar de alguns dos apêndices já terem sido retratados nos filmes de Jackson – como por exemplo, seu relacionamento com Arwen – ainda há muito a ser explorado nesse sentido. Aragorn é um fascinante ponto focal para uma série, já que continua a ser um personagem misterioso, apesar de ser um dos protagonistas dos filmes. Seu disfarce como o patrulheiro Passolargo esconde seus laços com a nobreza, o que mergulha bem mais a fundo no universo da Terra Média. A página chegou a especular um pouco sobre como isso poderia ser explorado:

Nós poderíamos, em flashbacks, aprender bastante sobre os homens de Arnor, reino-irmã ao norte de Gondor, e como os Dunedain sobreviventes se tornaram uma comunidade de patrulheiros, buscando proteger o norte das incursões do Bruxo-Rei de Angmar.

Em que ponto a série começará ou poderá terminar não passa de pura especulação. Considerando que o reinado de Aragorn como Rei Elassar Telcontar continua após os eventos principais da Guerra do Anel, é possível que Mortensen possa retornar ao papel em algum momento.

4. Peter Jackson talvez esteja envolvido no projeto

Falando sobre a parte criativa, os únicos escritores ligados ao projeto no momento são John P. Dayne e Patrick McKay, que são os responsáveis pela série de acordo com a Deadline. A dupla supostamente teria sido indicada por J. J. Abrams, que trabalhou com eles em Star Trek 4. A série, porém, terá uma equipe inteira de redatores, então podemos esperar que mais nomes surjam ao final do processo de pré-produção.

E um dos nomes que tem sido discutido é o de Peter Jackson. De acordo com Jennifer Salke, chefe da Amazon Studios, a empresa tem conversado com Jackson sobre um possível envolvimento na série. Isso pode ser um indicativo de continuidade visual da série no modelo criado por Jackson e sua equipe. E isso faria bastante sentido. Afinal, se você quer mergulhar no poço da nostalgia e está trabalhando de forma coordenada com o estúdio originalmente responsável pela obra, provavelmente pode aproveitar mais coisas.

Não sabemos qual papel Jackson poderia assumir na nova série, apesar de Produtor Executivo ou Consultor Criativo serem as apostas mais seguras.

Salke também disse que estava conversando com o neto de Tolkien, Simon, cujo envolvimento tem realmente muito valor. Quando a trilogia de filmes foi anunciada, Simon concordou em cooperar com a direção do filme, o que causou atrito entre ele e seu pai, Christopher, que não queria se associar e que deserdou Simon da herança da família. Apesar dos problemas, os dois se reconciliaram recentemente. Não sabemos como o ancião da família Tolkien se sente a respeito do envolvimento de Simon com a nova série, nem o que a família está fornecendo para a Amazon, mas é bom saber que a família parece estar menos afastada dessa vez.

5. A Nova Zelândia poderá ser novamente a nossa Terra Média

Aragorn-Legolas-615x346

Falando sobre continuidade visual, Salke também afirmou que a série deve ser gravada na Nova Zelândia, local onde os filmes de Jackson foram filmados. “Eu penso que podemos estar na Nova Zelândia… Eu não sei, mas nós teremos de ir para algum lugar interessante que possa prover esses locais de uma forma realmente autêntica, porque queremos que pareça incrível. Não há economia de ambição nesse projeto. Nós vamos onde tivermos que ir para fazer acontecer.”, afirmou Salke em junho.

6. A série deve estrear em 2021

Não, ainda não há data fixa para o lançamento. Salke apenas afirmou que a Amazon deseja que a série esteja no ar até 2021. Ou seja, em apenas dois anos, podemos estar conhecendo a mais nova série de fantasia da TV. E podemos esperar que seja grande.


Fonte: Nerdist

Quem escreve? Liao

Débora é musicista, pesquisadora e otaku (não fedida, prometo). 1/3 gamer, 100% sonserina. A alcunha de Liao veio de um site aleatório de geração de nomes japoneses (Liao é chinês, mas tudo bem).