O mangá oneshot “Fairy Tail Zero” conta a história da famosa guilda de magos

fairy-tail-zero-review-manga-jbc-editora.

A curiosidade não matou o gato!

Recentemente, a editora JBC passou a publicar Fairy Tail Zero, mangá oneshot (um único volume) que conta a história de onde surgiu a famosa guilda de magos. Confesso que desde que acompanhava Fairy Tail uma das minhas maiores curiosidades era entender de onde surgiu a ideia de criar uma guilda com magos tão verdadeiros e poderosos – afinal, esse era o grande diferencial dela para as demais guildas! Já adianto a vocês: vale muito a pena conhecer essa linda história <3

fairy-tail-zero-review-manga-jbc-editora

História

Primeiramente, gostaria que vocês conferissem a sinopse:

Mavis morava com sua amiga Zera na Ilha Sírius… Uma garota inocente e leitora assídua, seu sonho era “encontrar as fadas”. No ano X686, caçadores de tesouro vão para a Ilha Sírius, e a partir desse encontro, Mavis viverá uma aventura inimaginável! Encontros e despedidas, alegrias e tristezas, qual a “resposta” que ela encontrou?! Uma narrativa cativante, que descreve a verdadeira sinceridade… Conheça a história secreta da fundação da guilda de magos Fairy Tail! Eis a “aventura que guiará a magia e os companheiros” daquela que será a Primeira Mestra

Já dá pra sentir a magia, não é mesmo? E tenho uma informação MEGA IMPORTANTE, já que estamos falando de Fairy Tail: esse mangá NÃO É UM FILLER!

E agora chegou a tão temida hora: spoilers

Atenção: o post contém spoilers. Clique na caixa para ler.

Atenção: o post contém spoilers. Clique na caixa para ler.

clique para ler ALERTA DE SPOILER:
Como acontece com todos os personagens de Fairy Tail, já dá pra imaginar que a tragédia na vida de Mavis deve ter sido bastante grave.

Tudo começou no ano X679, na guilda de magos Red Lizard, governada pelo malvado Mestre Zeeself. Malvado mesmo, gente do céu. Mavis tinha apenas 6 anos de idade e tinha perdido os pais, que eram funcionários desta guilda. Por isso, Mavis trabalhava lá, para pagar uma dívida que seus pais tinham. Ele obrigava Mavis a limpar todo o local, e inclusive a fazer serviços descalça, simplesmente porque decidia que o sapato dela ficava melhor em sua filha, Zera. Mas apesar de tudo, Mavis sabia muito bem reconhecer as coisas boas da vida. Nisso ela me lembrou muito o Natsu, confesso.

Um dia, a guilda Blue Skull atacou a guilda, exterminando-a. Neste momento, Mavis só conseguiu salvar a pequena Zera, e desde então, viveram por sete anos juntas. A história engrena com a chegada de Yuriy Drayer, Precht Gaebolg e Walrod Cken, que buscavam a joia da Ilha Sírius. Inicialmente, Mavis entra em um jogo contra Yuriy (é uma das passagens mais divertidas do mangá) e consegue derrotá-lo usando apenas sua esperteza (e sua inteligência, já que seu hobby era ler livros sobre magia). Depois disso tudo, se deram conta de que a jóia não estava mais lá! E então inicia-se a jornada em busca da Blue Skull, que roubou a joia da cidade.

fairy-tail-zero-review-manga-jbc-editora-1

Eles enfrentam MUITOS perrengues, e finalmente vemos a magia de Mavis em ação: ela é uma ilusionista! Ela cria ilusões para que as pessoas possam ver e acreditar, enrolando a todos e conseguindo dar um jeito de salvar sua pele (e a de seus novos amigos).

No meio disso tudo, tem uma cena VALIOSÍSSIMA: Mavis encontra Zeref (aquele mago foderoso que infelizmente tem a maldição da contradição, ou a magia negra de Ankhseram, o que faz com que ele mate tudo o que possui vida à sua volta. E então, Mavis se mostra corajosa e cria uma ilusão lindíssima, já que Zeref não pode tocar em nada. É realmente emocionante.

Depois de derrotar o exército da Blue Skull, Yuriy encontra a joia. Mavis o avisa sobre as energias malignas que a circundam, mas Yuriy acredita que não passa de um plano para que ela pudesse colocar suas mãos no item. Então, um dragão-esqueleto revive, e mais uma vez enxergamos uma luta maravilhosa. Maravilhosa mesmo, porque ela explica o porquê de Mavis não envelhecer: no meio de uma luta, ela usa a magia Law, uma das mais poderosas até então. Infelizmente, um dos efeitos colaterais sofridos foi que ele jamais cresceria ou envelheceria. Mas para Mavis, isso nunca foi um sacrifício grande demais, já que seus amigos eram tudo o que ela tinha no mundo.

E não acabamos por aí: descobrimos, então, que na verdade Mavis não conseguiu salvar Zera no dia da invasão da Blue Skull. A Zera que ela conversa durante todo o mangá é apenas um fruto de sua própria ilusão, nem mesmo os colegas Yuriy, Precht e Walrod podiam vê-la ou ouvi-la. Foi um truque de sua própria mente para suprir a solidão e o sentimento de perda… Realmente triste! A despedida entre Mavis e a Zera da sua imaginação é um dos momentos mais marcantes.

Finalmente, eles se juntam para formar a Fairy Tail. A primeira guilda da cidade de Magnolia, até então destruída pela luta com o dragão-esqueleto. De onde veio o nome? Desde o início, Mavis tenta sempre manter um sorriso, porque sua mãe costumava lhe dizer que as fadas não aparecem para quem chora. E então, em sua cabeça sempre existiu um mistério: fadas possuem cauda ou não? Esse é um eterno mistério.

Nas palavras de Mavis:

Que esta guilda seja como uma família que valorize acima de tudo a harmonia. Uma guilda unida por laços mais fortes do que sangue. Uma guilda de magos unida por laços de alma. Ser um companheiro não é meramente um adjetivo. Ser um companheiro é compartilhar o mesmo coração. É poder confiar de maneira incondicional. Por favor, venha a mim sempre que precisar de ajuda, pois certamente irei a você sempre que precisar de ajuda. Eu estarei do seu lado. Mesmo nos momentos de tristeza. Mesmo nos momentos de sofrimento. Você não está sozinho. Cada estrela que brilha no céu é a luz da esperança. O vento que corre mansamente sobre a sua pele é o prenúncio de um amanhã melhor. Vamos caminhar juntos ao som da poesia cantada pelas fadas… Eu vejo o futuro desta guilda, e vejo-a repleta de pessoas. Uma aventura sem fim. Mas sempre com um lugar para onde retornar. É o que eu desejo para a Fairy Tail.

Arte

Não tenho muito o que acrescentar neste momento. A arte é idêntica à de Fairy Tail: mesmo estilo, cheio de detalhes, traços leves e firmes, cenário muito bem formulado. Excelente, como sempre!

fairy-tail-zero-review-manga-jbc-editora-2

Conclusões

Definitivamente: vale MUITO a pena, em especial se você acompanhou Fairy Tail ao menos por uma temporada. É possível ver na Primeira Mestra (Mavis) traços dos principais personagens do anime, ou melhor, da própria guilda e de sua essência.

A única crítica é que em alguns momentos Mavis e Zera foram sexualizadas. É comum em Fairy Tail acontecer tal fato com as personagens, mas é mais chocante aqui, já que são crianças de 13 anos. Então se isso for um trigger para você, a leitura não é muito recomendada.

Ela é tão fofinha @.@

Ela é tão fofinha!

Imagens: reprodução Perdido em Livros

Quem escreve? Mindy

Cosplayer e graduanda em Direito. Amante de World of Warcraft e Ragnarok, invencível no Super SmashBros, Batman-lover e fã de carteirinha da Princesa Zelda. Queria ser a toda-poderosa Sailor Moon (ou até mesmo a Princess Serenity) mas se contenta com a forma comum da Usagi.