Museu precisa de ajuda para traduzir antigos livros de feitiçarias

abracadabra

Sabe tudo sobre latim antigo e inglês arcaico do século XVII? Essa é sua chance!

Você ama bibliotecas? Sabe lançar alguns feitiços? Essa oportunidade é pra você!

A Biblioteca de Newberry, Chicago, está com um projeto liderado por Christopher Fletcher para a tradução e transcrição de três manuscritos do século XVII, chamados: The Book of Magical Charms, The Commonplace Book e Cases of Conscience Concerning Witchcraft e podem ser acessados através do portal Transcribing Faith.

museu_ajuda_tradução_feitiços-01

O The Book of Magical Charms (O Livro dos Encantos Mágicos) foi escrito por duas bruxas anônimas por volta de 1600, e tem feitiços para todas as ocasiões. Seja para trapacear em um jogo de dados e ganhar algum dinheiro ou só pregar alguma pegadinha em alguns amigos, conversar com seu espírito amigo ou te ajudar com aquela cólica chata. Esse é o livro que tem tudo isso!

Já o livro The Conscience Concerning Witchcraft (A Consciência Sobre a Feitiçaria) já trata do lado mais sombrio da história, com os nomes das bruxas perseguidas em nome da Igreja e sua caça às bruxas, que resultou na morte de diversas mulheres ao redor do mundo. Escrito por Increase Mather, ministro puritano que presidiu os julgamentos das Bruxas de Salem, o livro vem para defender os os horrores cometidos e alguns aspectos específicos que Mather achou maçante.

The Commonplace Book (O livro do lugar comum) reúne uma série de questões morais e religiosas e encerra a tríade de livros que a biblioteca precisa que sejam traduzidos (para o inglês atual) e transcritos.

museu_ajuda_tradução_feitiços-02

Estes textos farão parte também de uma exibição em Newberry chamada “Religious Change: 1450-1700” (Mudança Religiosa: 1450-1700), que será inaugurada este mês.

É uma ótima chance para estes textos serem explorados, e com certeza essas traduções e transcrições serão muito úteis para os historiadores e pesquisadores que forem trabalhar com essa temática!

Fonte: Nerdist.

Quem escreve? Jessica Reinaldo

Graduada em história, levo uma vida baseada em referências de filmes dos anos 80 e 90. Escrevo e pesquiso sobre terror.