Justiça APROVA APLICAÇÃO DA LEI MARIA DA PENHA contra pornografia de vingança na internet

A Lei Maria da Penha (lei 11.340/2006) vem recebendo mais atenção da justiça, já que o número de casos que envolvem violência moral contra mulheres vem crescendo nos tribunais. De acordo com o desembargador Wagner Ferreira, superintendente da Escola Judicial do TJ-MG e integrante da 5ª Câmara Cível:

“A pornografia de vingança é um crime novo e que instabiliza a mulher. Muitas acabam sequer denunciando o autor. O que é uma pena, já que é preciso ficar claro para a sociedade de que ela não tem culpa alguma daquilo. É um crime típico de uma sociedade machista, que ao invés de reagir contra a forma desrespeitosa, irresponsável, aliás, desprezível, com que esse homem tratou a parceira, culpa a mulher”.

O desembargador ainda reconhece que a reparação de dano moral é uma questão complicada e o valor é insignificante, já que o crime é praticamente irreparável, atingindo todos os níveis de relacionamento da mulher, seja na família, no ciclo social e até nas relações de trabalho:

“É um crime praticamente irreparável, mas, como precisamos transformar a pena em indenização pecuniária, o valor não deveria ser irrisório. Claro que é preciso respeitar o nível de renda de cada um, mas precisa ter um impacto pedagógico”.

Um homem de Uberlândia já foi condenado pelo tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG) a indenizar R$ 75 mil sua ex- namorada. O TJ-MG aplicou a Lei Maria da Penha após o homem divulgar, de maneira não autorizada, fotos íntimas da ex-companheira na internet. Mais um caso aconteceu em Cuiabá, no Mato Grosso. Uma jovem de 17 anos teve um vídeo íntimo divulgado em um site pornográfico internacional pelo ex-namorado, então, a justiça concedeu medidas de proteção com urgência para a garota.

Se você está passando ou passou por problemas de violência moral, não perca tempo DENUNCIE! Busque as autoridades ou ONGs de apoio.

mariadapenha

Quem escreve? Nathália Santos

Estudante de letras apaixonada pelo mundo Geek .