Japoneses compartilham como “ser um Otaku” mudou com o tempo

otaquinho_capa

Uma coisa divertida sobre a linguagem é que certas palavras mudam de significado com o tempo. Um bom exemplo no japonês é a palavra “Otaku”. Essa palavra tem hoje um significado completamente diferente do que tinha no passado, o que causa certa confusão entre fãs novos e antigos.

A página “Goo Ranking” resolveu fazer uma enquete com seu público, buscando entender como o termo teria mudado com o tempo, compilando as principais respostas. O resultado é interessante:

10. Não havia tantos cosplayers – 38 votos

Cosplay é um dos hobbies favoritos da comunidade otaku, mas isso não foi sempre assim. Antigamente, apenas os fãs mais hardcore faziam cosplay. Mas a internet colaborou com essa mudança, uma vez que através da rede é muito mais fácil compartilhar dicas, ideias e até mesmo encontrar os produtos necessários para sua caracterização.

9. Assistir anime? Só no videocassete. – 39 votos

Talvez esse seja um daqueles casos de “sai do meu jardim, pirralho!” por parte dos fãs mais antigos. Mas as locadoras por muito tempo só forneciam fitas VHS, uma vez que DVDs e discos Blu-ray eram muito caros na época de seu lançamento. Além disso, você podia gravar os episódios em fitas virgens, caso quisesse reassisti-los.

8. Você tinha de assistir na TV na hora certa – 40 votos

Algumas décadas atrás, o tempo livre dos jovens era procurando algo para assistir na TV. E se você quisesse assistir a algum anime, deveria estar em casa na hora certa. Hoje a dificuldade é escolher qual anime assistir, já que eles estão disponíveis a qualquer momento.

7. Não haviam Idols (assumidamente) Otaku – 43 votos

Essa foi uma das principais mudanças na “indústria das idols”. No passado, as cantoras “idol” eram misteriosas e buscavam esconder suas vidas privadas. Hoje em dia, as idols agem de forma diferente e são bastante abertas quanto aos seus hobbies otaku. Algumas inclusive tem o papel de otaku como sua marca registrada, a fim de atrair mais fãs.

6. Artistas Independentes (de Doujin) compartilhavam suas informações de contato – 44 votos

Muitos motivos contribuíram para isso, mas os artistas de doujinshi (independentes, de publicações menores) divulgavam abertamente suas informações de contato com seus leitores, inclusive por conta da praticidade. Os números de telefone e endereços residenciais costumavam vir na contracapa dos mangás, o que não acontece hoje em dia.

4 (empatado). Doujins eram exclusivamente encomendados por correio – 46 votos

Outro ponto levantado sobre o mesmo tema. Os Doujinshi, muitas vezes, eram encomendados apenas através de correios. Pode ser difícil imaginar isso hoje, mas na época você tinha de comprar diretamente do autor.

4 (empatado). As pessoas achavam que todos os fãs de anime eram estranhos – 46 votos

 

Os anime acabaram com o tempo se tornando parte de uma cultura mais “mainstream”, mas antigamente, todos os fãs da cultura eram vistos como estranhos nojentos. A expressão Otaku inclusive tinha cunho pejorativo.

3. Os fãs não chamavam a si mesmos de “Otaku” – 47 votos

Dez ou quinze anos atrás, você não conseguiria encontrar um fã de anime se chamando de “otaku”. No passado, a expressão era sinônimo de “perdedor sem futuro que fica vendo desenho de retardado”, mas o significado hoje mudou para “fã apaixonado”. No Japão, o termo inclusive não é restrito aos fãs de anime. Mas algumas pessoas ainda utilizam o termo como insulto, de forma que isso por vezes, pode gerar confusão.

2. Fujoshi era completamente diferente – 52 votos

Fujoshi não era realmente algo grande, quinze anos atrás, mas acabou virando um monstro poderoso…

No passado, todos os romances entre garotos eram chamados de “yaoi”, termo utilizado para descrever histórias de romance entre dois homens. Hoje, “yaoi” é utilizado para se referir a hentai homossexual entre homens, enquanto “romance de garotos” é utilizado para histórias de amor não explícitas.

Os fãs inclusive eram chamados de “doujin onna”, que era o termo utilizado para descrever mulheres que liam doujinshi, independente do conteúdo. Porém, como muitas doujin onna gostavam de ler yaoi, surgiu o termo “fujoshi”. O engraçado é que a expressão é um termo depreciativo que significa “garota estragada” e “yaoi” é um acrônimo da expressão “Yama nashi, Ochi nashi, Imi nashi” (sem clímax, sem respostas, sem sentido).

1. As pessoas acreditavam que todos os fãs de anime tinham depressão – 68 votos

No passado, as pessoas realmente acreditavam que todos os fãs de anime sofriam de depressão, o que é realmente estranho quando você conhece os fãs atuais. Muitos dos fãs modernos de anime de fato lutam contra condições como essas, sendo bastante abertos sobre ansiedade, fobia social e depressão. E isso nos leva a dois pensamentos: a depressão é bastante comum para fãs de anime ou os fãs modernos gostam de brincar com temas bastante sensíveis.

E aí? Se identificou com alguma coisa? 8D


Traduzido do Goboiano.

Quem escreve? Liao

Débora é musicista, pesquisadora e otaku (não fedida, prometo). 1/3 gamer, 100% sonserina. A alcunha de Liao veio de um site aleatório de geração de nomes japoneses (Liao é chinês, mas tudo bem).