Guardiões da Galáxia Vol. 2 tem muito mais girl power (e é ótimo)

Guardians-of-the-Galaxy-Vol2-concept-destaque

Com mais personagens femininas, Gamora não é mais a ‘Smurfette’ do grupo

Não parece, mas já faz quase três anos do lançamento do primeiro Guardiões da Galáxia, o longa sobre o time B de heróis da Marvel que roubou a cena dos filmes de super-heróis, atualizando as definições de ensemble e deixando a DC de calças curtas. E nesses três anos muita coisa mudou na cultura pop. Cada vez mais é necessário que os filmes comerciais tenham mais cuidado e espaço para personagens femininas, e longas com heroínas como protagonistas estão surgindo de todos os lados e faturando bastante. Apesar do primeiro filme não ter cometido pecados graves nesse aspecto, Gamora praticamente carregava nas costas sozinha o legado feminino em uma história cheia de homens. Mas podem comemorar, garotas, porque Guardiões da Galáxia Vol. 2 fez questão de melhorar isso.

Nebula e Gamora ganham mais espaço e profundidade

Nebula e Gamora ganham mais espaço e profundidade

Além de Gamora (Zoë Saldaña), que tem importância vital na trama, Nebula (ou Nebulosa – Karen Gillan) deixa de ser a máquina de matar do primeiro longa e ganha um arco só pra ela! A relação dela com a irmã é melhor explorada e ambas ganham profundidade. Elas inclusive passam no teste Bechdel, que é usado para medir representatividade feminina em obras com uma simples pergunta: o filme possui pelo menos duas personagens femininas que tenham nome e queconversem entre si sobre algo que não seja um homem? SIM! O filme também apresenta uma nova personagem, Mantis (Pom Klementieff), que nos quadrinhos já foi muito sexualizada, mas no filme ganhou novas dimensões, possui um arco de personagem interessante e protagoniza alguns dos momentos mais divertidos ao lado de Drax (Dave Bautista).

Drax e a nova personagem Mantis

Drax e a nova personagem Mantis

E a mudança de direção foi deliberada, de acordo com o diretor e roteirista James Gunn, que em outubro do ano passado explicou suas motivações no Facebook. “Estou cansado de histórias com um monte de personagens masculinos bem realizados e uma personagem feminina cuja principal característica é ‘ser a garota’, ou ser um objeto de afeição sem personalidade de algum homem”, escreveu ele, que afirmou que fazer personagens femininas que sejam somente “fortes” também não ajuda em nada: “Já vimos histórias de mulheres que são guerreiras perfeitas, mas têm apenas uma dimensão, mas é igualmente chato”. Bingo!

A trama, embalada pela trilha sonora da segunda fita cassete de Peter Quill (Chris Pratt), começa com o grupo de caçadores de recompensas trabalhando em equipe, enquanto o pequeno Groot (que é a coisa mais fofa do universo) mais atrapalha do que ajuda. Ao fim de uma missão, eles se vêem em uma perseguição espacial da qual são salvos por uma figura misteriosa, na qual eles não sabem se podem confiar. O filme apresenta novos personagens do passado de Peter e trás de volta outras figuras muito queridas (ou nem tanto) do primeiro longa. Fique de olho também nas dezenas de easter eggs!

Guardiões da Galaxia vol 2 Marvel

 

Com tramas e subtramas emocionantes e divertidas, Guardiões da Galáxia Vol. 2 é mais que uma aventura. É uma história sobre reconciliação e redenção, e sobre enfrentar fantasmas do passado e de dentro de si. Além de ser um blockbuster super competente em todos os aspectos. Como no primeiro, a montagem e a edição são impecáveis, e o ritmo do filme é costurado pela trilha sonora de hits dos anos 80 de maneira orgânica, sem redundância e mudanças de tom abruptas (um dos pecados de Esquadrão Suicida).  Ah, e o terceiro já foi confirmado! 😉

Quem escreve? Micheli Nunes

Jornalista, especialista em séries de TV, cinema e cultura pop. Apaixonada por desenhos animados, tem um gato chamado Gunter e compete com ele pra ver quem gosta mais de dormir. Aspirante a ilustradora e confeiteira, é SJW e feminista nas horas vagas.