Entenda sobre a 2ª edição do Jogo Justo

2ª edição do Jogo Justo: Saiba tudo o que rolou na segunda edição da campanha

Como todo mundo já deve tá sabendo, hoje foi a segunda fase da campanha Jogo Justo, que tem como objetivo conseguir a diminuição de impostos cobrados sobre games, consoles e afins e, consequentemente, fazer com que eles cheguem mais baratos no Brasil. Assim, todo mundo pode jogar o que quiser sem ter que apelar pro Pirate Bay, os criadores dos games ganham sua merecida grana e todo mundo fica feliz!

O idealizador da campanha, Moacyr Alves Jr, tem como objetivo mostrar o potencial que esse mercado tem no país. Assim, teremos um incentivo para o mercado nacional correr atrás do prejuízo, o que significa mais empregos, desenvolvimento e produtos mais baratos para nós. No México, por exemplo, quando os impostos diminuíram, as compras de jogos aumentaram em 8 vezes! Hoje, o país representa 2% do consumo de games no mundo. O Brasil está nos 0,5%, sendo que tem o PIB muito maior e muito mais gente (daí, subentende-se muito mais gamers ou pessoas que podem vir a se interessar por isso).

Mas Garotas Geeks, como isso funciona?
Antes de mais nada, é preciso entender por que os games são tão caros. Ao entrar no país, o imposto cobrado sobre eles é de mais ou menos 80% do valor! Isso acontece porque a legislação brasileira os coloca na mesma categoria que jogos de azar. Pra se ter uma ideia, isso é mais imposto do que recebem as armas de fogo importadas.

No entanto, se houvesse uma outra categoria para classificar esses produtos, o Imposto de Importação (II) e o Imposto sobre Produtos Industrializados (o famoso IPI que deu carro pra muita gente em 2009) poderiam ser drasticamente reduzidos, o que resultaria em passar a taxação de 80% para cerca de 15% do valor total. Assim, o jogo que custa R$200, R$250, sairia por mais ou menos R$100. Só lembrando: o Brasil está entre os que mais cobram impostos no mundo. De acordo com o Impostômetro, já foram mais de R$ 500 bilhões do bolso da população para o governo só neste ano!

Primeiro dia do Jogo Justo:
A primeira edição do Dia do Jogo Justo aconteceu no dia 29 de janeiro de 2011 e disponibilizou os games Assassin’s Creed Brotherhood, Castlevania: Lords of Shadow e Pro Evolution Soccer 2011 por R$ 99,90 cada. Também marcou a fundação da Acigames (Associação Comercial, Industrial e Cultural de Games) para dar respaldo às ações da campanha, e teve diversas palestras e oficinas para os participantes.

O resultado deixou claro o potencial de vendas de games no país: uma média de 2 jogos por minuto foram vendidos e, em alguns pontos de venda, o estoque esgotou em uma hora. Filas imensas, sites caindo… apocalipse define? #fimdomundofeelings

Segundo dia do Jogo Justo:
A segunda edição da campanha do Jogo Justo rolou hoje (#fimdomundofeelings de novo), com diversas palestras sobre impostos sobre games no Brasil, e com um número MUITO maior de participantes do que a primeira! 17 estados do Brasil participaram da 2ª edição da campanha, e ainda teve 10 lojistas online que venderam para todo o país.

Dessa vez a lista de os títulos com valor “promocional” aumentou, englobando os seguintes games: Call of Duty Black Ops, Castlevania Lords of Shadow, Donkey Kong Country Returns, Fallout New Vegas, FlingSmash, Golden Sun Dark Dawn, Marvel vs Capcom 3 Fate of Two Worlds, Naruto Shippuden Ultimate Ninja Storm 2, New Super Mario Bros, Pro Evolution Soccer 2011, Super Mario Galaxy 2, The Legend of Zelda Spirit Tracks, Vanquish e Wii Party.

Todos os 14 games acima foram vendidos hoje pelo valor de R$ 99,90, com exceção do PES2011 de PSP, que custou R$59,90!!

No total foram 58 mil unidades vendidas pelo preço promocional. E em muitos shoppings de São Paulo já havia filas desde as 7h da manhã! Segundo um dos donos de uma das lojas participantes da campanha, em cerca de 40 minutos todo o estoque (de 100 peças com desconto que ele recebeu) acabou.

E claro, teve muita gente que saiu frustrada pois não conseguiu comprar os jogos, já que os estoques por loja eram pequenos e acabaram rápido demais.

Pensando por um lado, é um certo absurdo as pessoas terem que correr e enfrentar filas para pagar um preço justo (eu disse JUSTO) por um jogo, ou qualquer outro tipo de produto.

Mas qual a saída: diminuir os impostos ou incentivar a indústria interna?
Diminuir os impostos ajuda o consumidor, mas, ao mesmo tempo, incentivar a produção da indústria nacional ajudaria a economia brasileira a longo prazo. Talvez, o buraco seja mais embaixo.

Mas o que a gente quer saber é: qual a sua opinião sobre o Jogo Justo?

Post escrito por Tammy e Giovana.

Quem escreve? Equipe Garotas Geeks

Um blog com o melhor da cultura geek de forma bem humorada, feminina e sem frescura! :D