Dica de Livro: A Canção do Sangue, Anthony Ryan

a-canção-do-sangue

A Canção do Sangue é uma ficção de estreia do autor Anthony Ryan, publicado pela Editora LeYa neste ano (2014). A obra é uma novidade que, pelo que vejo, tem conquistado a atenção dos leitores e sendo sempre elogiado.

Vaelin Al Sorna é um garoto de 10 anos que foi deixado por seu pai na Casa da Sexta Ordem, o que faz com que, agora, a Ordem seja sua única família. Por anos, ele é brutalmente treinado até que se torna líder entre seus “irmãos”. O enredo, que é apresentado pelo personagem a partir do seu presente e, ao contar sua história, faz com que viajemos no tempo, nos enche de perguntas sobre a vida de Vaelin, a Ordem e tudo o que os rodeia.

De quem foi o real desejo de levar Vaelin para a Ordem? Do que ele deveria ser protegido? Os indícos sobre uma esquecida Sétima Ordem são reais? Por que o Rei Janus tem determinadas ações? Aos poucos o personagem vai se dando conta do seu futuro grandioso, enquanto aprende em quem realmente deve confiar.

a_canção_do_sangue

O livro é bem escrito e envolvente, com questões muito importantes para seu desenvolvimento (e para atrair os leitores). O desenrolar da amizade de Vaelin e seus irmãos, durante seu treinamento, é notável, além de apresentar os primeiros mistérios da obra. Os personagens são bem construídos e a questão da representatividade está bem presente, com personagens variados que são muito fortes e possuem voz própria, cada um mostrando a que veio. Cada um mostrando o quão capaz e poderoso é.

Apesar de alguns problemas na revisão, num geral, o livro é muito bom, especialmente para quem já busca novidades literárias. É uma excelente história para aprendermos sobre lealdade, amizade e, especialmente, o poder e influência das nossas escolhas.

Para os que se interessaram: há um trecho disponível aqui!

*Este livro foi cedido no formato e-book pela Editora LeYa.

Quem escreve? Fran

Jornalista recém formada, blogueira de raiz, escritora de faz de conta e boa leitora. Considera pecado dizer não a um chocolate e a uma compra de livros. Gosta da cultura latina e tem uma parede de cartões-postais.