Dica de Filme: Hotarubi no Mori e

CAPA

Passeando pela internet, eis que encontro uma foto dessa animação, sua simplicidade e beleza chamaram a atenção. Fiquei mais surpresa ainda quando descobri que ela foi considerada uma das mais belas animações de 2011, e eu, que já tinha preparado uma pauta para esta semana, simplesmente a troquei depois de assistir este filme. Por quê? Porque ele é fofo, delicado e surpreendentemente lindo <3

Hotarubi no Mori e (Into the forest of fireflies light) é uma animação de 45 minutos produzida pelo estúdio Brain’s Base, com roteiro de Yukihiro Shibuya e direção de Takahiro Omori (Durarara!!, Baccano!). A trilha sonora foi responsabilidade do talentoso compositor e pianista Makoto Yoshimori.
O filme foi baseado em um mangá one-shot escrito pela Yuki Midorikawa (mesma autora de Natsume Yuujinchou). Super elogiado pela crítica, Hotarubi no Mori e chegou a ser comparado com as obras de Hayao Miyazaki (A Viagem de Chihiro) e Makoto Shinkai (5 Centimeters Per Second) devido a sua simplicidade e ternura.

hotarubi2

Unidos pelos sentimentos

O enredo de Hotarubi no Mori e se inicia com a pequena Hotaru, uma menininha de seis anos que todos os verões vai para a casa do tio que mora no interior, próximo a uma floresta. Um dia a garota se perde entre as árvores e começa a choramingar pensando que ninguém nunca iria encontrá-la, até que surge Gin, um jovem que usa uma máscara de raposa e parece preocupado com a garota. Depois de Hotaru se explicar, Gin promete ajudá-la. A garota contente com as palavras do jovem corre para abraçá-lo, quando cai no chão acertada por um golpe na cabeça. ISSO MESMO, Gin a acerta em cheio para evitar que ela se aproximasse. O motivo? Por alguma razão, ele explica que não pode ser tocado por humanos, pois iria desaparecer, já que era um espírito da floresta. Hotaru fica confusa, mas acaba aceitando. Ambos saem juntos da floresta e a garota promete voltar no dia seguinte para agradecê-lo, e eis que surge uma grande amizade que se renovará a cada verão.

hotarubi

A partir desse dia, Hotaru passa a visitá-lo sempre que está na casa do tio, pois ambos tornam-se bons amigos, compartilhando momentos divertidos na floresta.
A confiança entre os dois cresce tanto que Gin resolve contar sobre si para Hotaru, quando ele explica que na verdade fora um bebê deixado para morrer na floresta, mas que por bondade do Deus daquele lugar, recebeu uma segunda chance para viver, com a condição de nunca tocar um ser humano. O garoto cresceu sob os cuidados dos espíritos do lugar, que parecem se preocupar muito toda vez que Hotaru está com ele, temendo que a garota o toque.
Sobre a máscara, não há uma razão específica para usá-la, ele apenas se sente confortável quando está com ela. Uma das cenas mais lindas do filme é quando Hotaru olha para trás e vê Gin parado, olhando para o céu, e tirando vagarosamente a máscara, enquanto sente a brisa bagunçando-lhe os cabelos. <3 É como se Hotaru descobrisse o amor…

Fita que os une.

Fita que os une.

Com o decorrer do enredo, é bacana observar o crescimento (mental e físico) de Hotaru, tudo isso paralelamente a mudança das estações e o passar dos anos, que deixa de ser uma criança para se tornar uma jovem de colegial, ou seja, o fato de ela não poder tocar a Gin, o garoto frágil que ela aprendeu a amar, começa a incomodá-la. Como não se apaixonar pelo momento em que ela o presenteia com um cachecol, após ouvir de seu tio que o inverno naquele ano seria bastante rigoroso?

"Algo que desaparece quando é tocado, é como a neve, certo? Gin, pensei em você durante todo o inverno. Mesmo durante o outono, e até a primavera. Não se esqueça de mim. O tempo pode nos separar um dia, mas mesmo assim, vamos ficar para sempre juntos."

“Algo que desaparece quando é tocado, é como a neve, certo? Gin, pensei em você durante todo o inverno. Mesmo durante o outono, e até a primavera. Não se esqueça de mim. O tempo pode nos separar um dia, mas mesmo assim, vamos ficar para sempre juntos.”

*Spoiler(zinho)* É lindo acompanhar também o sofrimento da garota quando precisa partir e voltar para vida cotidiana de aluna do colegial, quando passa dias distraída com os pensamentos sempre voltando para o jovem da máscara de raposa. Hotaru torna-se uma menina que vai aprendendo pouco a pouco a odiar as estações que não fossem o verão. Da mesma forma Gin, que agora esquentado pelo cachecol dado por ela, vê-se absorto em solidão, ansiando pela volta do verão e do momento em que poderá ver novamente a menina que apresentou-lhe uma infinidade de sensações e sentimentos novos.

Um pequeno resumo dos melhores momentos!

Um pequeno resumo dos melhores momentos!

Por que amar Hotarubi no Mori e?

Mais que uma história de amor impossível, Hotarubi no Mori e nos passa uma lição de vida, quando precisamos abrir mão de alguns caprichos para simplesmente cultivar aquilo que mais importa para nós: alguém que amamos. É fácil perceber a dor de Hotaru quando o que ela mais anseia (tocar a Gin) pode causar problemas a ele, mas ela aprende a controlar seus desejos para não perdê-lo, e isso não impede que o amor desenvolva-se entre eles. É interessante a troca de papéis no enredo, quando percebemos que o frágil da relação não é a Hotaru e sim o garoto cujo corpo é mantido por magia, mas mesmo assim, Gin insiste em assumir o papel de protetor. Não há como não se apaixonar pelo jovem gentil e educado e a menina bondosa que nunca para de pensar no bem-estar dele.

"Não se preocupe, eu irei te proteger, Hotaru." "Fico com vontade de pular em você quando diz coisas assim!" "Faça isso. É sério..."

“Não se preocupe, eu irei te proteger, Hotaru.”
“Fico com vontade de pular em você quando diz coisas assim!”
“Faça isso. É sério…”

Apesar de tudo, temos alguns poucos momentos de comédia, protagonizados pela pequena Hotaru de seis anos, nada que danifique o enredo voltado para o drama.
A trilha sonora é gostosa e leve, intensificando os sentimentos das personagens. Os gráficos e cenários são delicados e lindos, adquirindo brilho único e passando a sensação de ternura a quem assiste.
No mais, vale mais que a pena assistir e entender porque Hotarubi no Mori e foi escolhido como uma das melhores animações de 2011, além de ter ganhado diversos prêmios. É uma história repleta de sentimentos e ternura, com personagens cativantes e cenários adoráveis, despertando as mais lindas sensações àqueles que assistem.

E para quem se interessar, aqui você baixa em HD e aqui você pode assisti-lo online.

Quem escreve? Paula

Apaixonada por rpgs, doces, gatos e cultura asiática em geral. Futura maior detetive do mundo ~L não tem nada a ver~. Sonha com o dia em que vai poder gastar fortunas em figures-action. No mais, a leonina gorda que nunca dorme.