Dica de anime: Yuri on Ice, o grande sucesso dessa temporada

yuri-on-ice-capa

We were born to make history!

Yuri on Ice não é um anime para quem tem ego frágil. Definitivamente não é um anime para quem acha que collant diminui masculinidade ou altera sexualidade, para quem acha que amor erótico é coisa de gente “sem pudor”, para quem acha que o amor existe numa via única para a heterossexualidade.

Fora isso, quem, pelo amor de todas as coisas santas deste planeta, não consegue se apaixonar ou ao menos admirar a patinação artística no gelo?

Dito isso, era até mesmo esperado que o grande sucesso dessa temporada com certeza fosse de Yuri on Ice e Yuuri Katsuki, seu protagonista.

yuri-on-ice

A série aborda – com trilha sonora a cenários estonteantes (ok, cenários bem bugados de vez em quando, mas a gente perdoa por causa do enredo) – a vida competitiva do patinador de gelo artístico japonês que tem como maior sonho alcançar o russo Victor Nikiforov , o famoso arrebatador-de-corações, campeão de patinação mundial por cinco vezes consecutivas.

o anime é sobre gelo, mas THIS BOY IS ON FIRE

O enredo inicia mostrando uma derrota esmagadora de Yuuri enquanto carregava nas costas o enorme peso da responsabilidade de vencer pelo Japão no Grand Prix Finale (comumente conhecido como GPF na vida real, onde atletas internacionais seniores da patinação artística no gelo competem pelo ouro mundial). Desmotivado, Yuuri volta para casa, na ilha de Kyushu, e começa a se sentir tentado a parar de patinar. Mas ele não esperava encontrar ali o próprio Victor, se candidatando a deixar sua carreira de patinador premiado para se tornar seu treinador. Após Victor, outro patinador chega a Kyushu, mas desta vez para competir com Yuuri pelo treinamento exclusivo de Victor: Yuri Plisetsky – e pra facilitar a diferenciação ele acabou sendo apelidado de Yurio. Yuuri e Yurio têm então de competir entre si para decidir quem teria Victor como treinador e partiria para o Grand Prix com ele. A história que se desenvolve a partir daí contém muito de descobrimento pessoal, paixão pela patinação e muitas, muitas outras competições.

Quando o anime foi lançado, muitos patinadores da vida real ficaram obcecados! Começando pela patinadora americana Ashley Wagner, que jura que a patinadora russa do anime só pode ser uma inspiração dela:

A Evgenia, que recentemente ficou famosa na internet por dançar com temática de Sailor Moon, é uma fãzassa de animes:

E até mesmo o deuso do gelo Evgeni Plushenko concorda com a comparação dele com o Victor!

Apesar de tudo, muita gente na internet demonstrou hesitação ou mesmo repulsa pelo título por causa de boatos de que seria um anime Yaoi. Para resumir o assunto, achei que seria interessante destacar partes de um texto de uma fã sobre o anime:

“Eu preciso dizer algo para os céticos por aí, aqueles que estão irritados com Yuri on Ice, aqueles que acham que é só um lixo de yaoi. Yuri on Ice é literalmente bem revolucionário até agora. E isso sim é importante. Nós não estamos gritando por causa de um fanservice sem sentido em um subtexto homoerótico. Você provavelmente já viu screenshots e gifs fora do contexto e pensou: ‘Uau, isso parece bem gay.’ Não, você não entendeu. É gay. O anime não é categorizado como yaoi, o que significa que não é um simples fanservice heteronormativo direcionado as mulheres [que é o que costuma acontecer com os animes yaoi], que traz temas problemáticos. Não é um shounen-ai, onde simplesmente provoca o expectador com dicas aqui e ali de homossexualidade – que na verdade nunca é explorada. Claro, existem as cenas de fanservice, que são estrategicamente colocadas junto com o contexto histórico. Mas até agora, esse anime não é um “queerbaiting” (onde o atrativo seria a relação homossexual não explícita, somente usada como fanservice). Até agora, em somente [sete] episódios, Yuri on Ice está esmagando estereótipos um atrás do outro. Isso não é tão comum em animes de esportes. No entanto, Yuri on Ice não é só isso. Não há dúvidas que o anime também trata de um despertar da sexualidade, como ficou bem claro no episódio 3. Não somente é único mostrar esse despertar sexual, mas ainda mais entre dois homens. E é muito real, muito explícito e não é feito piada. Não é uma piada. Não é apenas uma farsa para atrair fangirls. É real. Se você anda não assistiu Yuri on Ice ainda porque acha que é só fanservice, porque você acha que é que nem “Free” ou “Hibike! Euphonium” – você está errado. Esses dois animes, enquanto absolutamente lindos, e eu pessoalmente adoro assisti-los, estão constantemente querendo contornar a homossexualidade. Eles fazem de tudo pra deixar a ideia de uma atração romântica no ar, mas nunca levam ao próximo passo. Eles provocam, mas não realizam. E esse anime não é como “Haikyuu” ou outro anime de esporte, onde você vê claramente os laços como românticos ou platônicos (dependendo de como você quer encarar). Não, esse anime é gay, quer você goste ou não. Você pode negar muitos animes serem gays, como sendo algo que as fangirls estão vendo apenas por seus ships desejáveis, mas você não pode negar esse. E por deus, eu espero que esse anime continue fazendo o que está fazendo. Se nada vier do relacionamento entre Victor e Yuri, o anime ainda vai ter feito o maior flop de queerbaiting já visto. E se ainda continuar a fazer coisas incríveis, como já está fazendo, por deus, esse vai ser difícil superar.”

YES SIR

Eu não sou o tipo de fã de anime que assiste muito do gênero de esporte, mas tenho que tirar meu chapéu para Yuri on Ice, em todos os sentidos. Temáticas que envolvem profissões artísticas, das que requerem paixão, inspiração e desprendimento de “valores” conservadores, despertam em mim a mais profunda admiração. E é, de fato, algo que desperta espanto. Acompanhar uma história do fracasso ao sucesso é algo revigorante de qualquer forma, mas acima de tudo mostra algumas perspectivas bem positivas pra quem está também tentando seguir em frente na vida, seja em qualquer profissão. Além do mais, Yuri on Ice é uma história completa: ela explora perfeitamente todos os possíveis sentimentos dos personagens e pula de uma cena cheia de piadinhas para um momento sério e tenso em questão de minutos – e isso acaba te prendendo à trama. Os efeitos sonoros do anime são lindos, o desenvolvimento pessoal dos personagens é lindo, praticamente tudo na história é impecável e único.

Não. Sério. Olha essa opening:

Não é fabuloso? :3

Espero que vocês também possam acompanhar, se inspirar e se apaixonar por esse anime, assim como encontrar sua paixão e batalhar por ela como o Yuuri (๑˃̵ᴗ˂̵)و

Quem escreve? Liao

Débora é musicista, pesquisadora e otaku (não fedida, prometo). 1/3 gamer, 100% sonserina. A alcunha de Liao veio de um site aleatório de geração de nomes japoneses (Liao é chinês, mas tudo bem).