Um dos melhores animes do gênero.

Também conhecido por “3-gatsu no Lion“, “3-gatsu” ou “March comes in like a lion“, o mangá que gerou um dos melhores animes da última temporada de 2016 é de autoria da talentosa e queridíssima Chika Umino, também autora do meu favorito, Honey & Clover. 3-gatsu vem sendo publicado desde 2007, tendo como gêneros: drama, jogo, seinen e vida cotidiana. O anime foi ao ar em outubro de 2016 pelo Studio Shaft e recebeu críticas em geral extremamente positivas, principalmente em sites como o MAL. (Leia mais sobre o MAL aqui)

3-gatsu
Eu nunca sei se essa coisa aí no colo do Rei é uma coruja ou um gato, lol

Se eu tivesse que resumir essa história em uma palavra, seria tempestade. Uma forma perfeita de demonstrar as turbulências de uma adolescência conturbada.

3-gatsu fala sobre Rei Kiriyama, um menino órfão de 17 anos que recentemente começou a viver sozinho, financiado pelo seu salário como um jogador profissional de Shogi (uma espécie de versão japonesa do xadrez). Apesar de sua independência, ele ainda está em processo de amadurecimento emocional e seus problemas o assombram constantemente em sua vida diária. Seu relacionamento com sua família adotiva é tenso e ele tem dificuldades para interagir com seus colegas estudantes do ensino médio. Enquanto isso, sua carreira entrou em uma preocupante queda, principalmente por causa das pesadas expectativas colocadas sobre ele, a quinta pessoa no país a se tornar um profissional da área ainda enquanto estudante colegial.

Do outro lado dessa tensão, existe o alívio da amizade de Rei ao lado das três irmãs Kawamoto: Akari, Hinata e Momo. Ao contrário de Rei, na maior parte do tempo elas vivem felizes em sua casa modesta, com sua vida modesta. E sempre o acolhem calorosamente como se ele fosse um dos seus. Mesmo com suas reservas em se tornar muito próximo da família, Rei frequentemente as visita, interagindo com elas e recebendo todo tipo de cuidado e carinho que nunca teve enquanto estava sob seu lar adotivo.

3-gatsu girls
Na ordem: Akari, Hina e Momo

Em linhas gerais, esta é a história dos triunfos e fracassos de Rei, seus relacionamentos e seu crescimento pessoal.

Mas vamos analisar rapidamente o anime!

ARTE (10/10)

A arte é sempre uma das minhas partes favoritas nos trabalhos da Chika Umino. O estilo de desenho dela é tão, tão fofinho que você se derrete todo, mesmo quando ela vai retratar assuntos mais sérios. Ela desenha os olhinhos, os bichinhos (e agora os bichinhos FALANTES), as roupas dos personagens, as expressões, o cenário e basicamente tudo no mangá de uma forma tão delicada e única que você acaba se perdendo nas minuciosidades. O anime foi, felizmente, muito fiel ao mangá e se tornou um meio fantástico de dar vida ao traço dela. 

Os tons pastéis do anime dão uma graça singela e virginal para história. Com certeza, a forma como o anime foi separado entre tons escuros e tons coloridos aprofundam as sensações que o expectador deve sentir assistindo a trama.

A Momo-chan é a criatura mais fofa desse universo e quero afogá-la no doce <3

SOM (8/10)

A trilha sonora do anime é bem simples, mas ainda assim muito bonita, principalmente as com partes de solo de piano. Talvez por causa do enredo, devo admitir que mal pude prestar atenção na sonografia – e isso porque o faço SEMPRE, religiosamente, em todos os animes que acompanho. Culpo a história por tirar minha atenção disso! Você se sente engolido pelo enredo de tal forma que todo o resto vira mero detalhe.

Porém, é perceptível que o trabalho de dublagem foi extremamente bem feito. Todas as vozes encaixam perfeitamente nos personagens, especialmente as femininas.

As endings e openings são muito bacanas! A escolha de cada música nelas me pareceu perfeita. As aberturas são uma amostra rápida de tudo que o anime contém:

PERSONAGENS (9/10)

3-gatsu é basicamente um anime sobre a dor de Rei, então isso ocupa e acaba construindo todo o nosso ponto de vista do resto da história e dos demais personagens, inclusive porque o narrador é o protagonista – e isso acaba influenciando a nossa percepção de tudo e nos tornando, provavelmente, parciais.

Porém, é bonita a forma como cada personagem é inserido na história de forma única, com características únicas e que nos fazem sentir um crescente afeto (ou desafeto mesmo) por elas, com o passar do tempo. E o interessante é que todas essas características são tão palpáveis que é bem difícil não se sentir próximo de todos os personagens de alguma forma.

Sem querer dar spoiler mas já dando: GRRRRRR

HISTÓRIA (10/10)

Sangatsu tem uma história incrível, mas seria um erro não dizer que ela é um pouco difícil de acompanhar, especialmente se você se relaciona pessoalmente com os temas abordados, principalmente bullying e abandono emocional. O ritmo do enredo é propositalmente lento – e isso às vezes torna a história muito densa e angustiante, especialmente nas partes que mencionam um ainda não confirmado abuso que o Rei sofreu. De todo modo, essa é uma maneira perfeita de demonstrar como a depressão funciona. É uma forma impecável de mostrar aos espectadores o quão difícil é se sentir angustiado assim, o quão difícil é ter uma mente tão cheia de pensamentos e medos.

Fiquei positivamente surpresa com essa história e a forma tão pura, intensa e emocional que ela retrata o tema das doenças psicológicas. Sempre lamento ficar bem desapontada com vários animes e mangás que banalizam a depressão ou tratam esse tipo de doença mental como um problema irrelevante. Então assistir 3-gatsu foi, de alguma forma, algo bastante inspirador.

Eu me vi em vários problemas que o Rei tinha, eu podia sentir na minha pele o quão assustadores alguns momentos que ele passou foram. Uma história que cria empatia para esta questão é fantástica e sem dúvidas merece todos os créditos.

Smith me representa!

COMENTÁRIOS PESSOAIS

Falar sobre o trabalho da Chika pra mim é algo bem difícil. Primeiro porque sou uma fã mortal do trabalho dela, e segundo porque esse trabalho é sempre voltado no sentido de deixar as histórias bem densas e dramáticas. A escrita e a arte da Umino sempre cutucam diretamente nas principais feridas do jovem adulto – de um jeito bem indiscreto e atordoante, bem na jugular. Em todas as obras dela que li, sempre achei alguma coisa que me fez sentir como se estivessem me atingindo com uma pancada bem forte, a começar pela forma como ela descreve cotidianamente doenças psíquicas, ansiedades e problemas da juventude em geral – tudo de um jeito tão tocante e tão real que chega a chocar.

Mesmo que muitos leitores vivam em realidades diferentes, existem alguns pontos da vida humana que são comuns pra idade do jovem adulto: os medos do futuro, do fracasso, de não se encontrar… E isso faz as obras da Chika memoráveis.

Honey & Clover é, inclusive e como já mencionei anteriormente, o meu mangá favorito de todos os tempos, exatamente por causa dessas temáticas e porque eu li em um momento da minha vida que eu passava exatamente pelos mesmos problemas que os personagens. Dessa vez, em 3-gatsu, ela deixa perceptível a evolução que seu trabalho adquiriu desde a publicação de H&C. E a principal forma de ver isso é perceber que 3-gatsu consegue ser mais denso que o normal para as histórias de antes: os momentos de alívio cômico acontecem com menos frequência e aquela sensação excruciante de se sentir afogando em sentimentos negativos dos personagens é bem maior. O episódio seis do anime, em particular, foi bem difícil de assistir até o fim sem pausar pra respirar um pouco. E isso talvez aconteça porque dessa vez o plot principal da história é a própria solidão, a tristeza e a depressão do personagem principal. Apesar da tensão que isso deixa no expectador, é exatamente isso que torna o anime muito mais impressionante – mesmo para os leigos em anime, mesmo para os que não acham Shogi um esporte/jogo interessante ou para quem não passou pela experiência de sofrer bullying na infância.

Veja uma parte de um episódio, pra ter uma ideia de como ele é:

Provavelmente nem todo mundo vai gostar ou entender o significado que a história quer passar, mas acho que valeu e valerá muito a pena para todos aqueles que foram adolescentes sem amigos na escola, para aqueles que não sabiam ou ainda não sabem como expressar seus sentimentos, para aqueles com problemas ou perdas familiares.

3-gatsu é uma história linda e poderosa sobre aprender a confiar nos outros, a descobrir suas próprias forças e fraquezas. Sobre deixar para trás o que te faz mal e saber como seguir em frente.

Estou muito feliz por ter dado essa chance de acompanhar a série e posso apostar que alguns vão amá-la tanto quanto eu. Eu realmente estou esperando por um final comovente e feliz – cheio de lágrimas, momentos agridoces e mixed feelings, do mesmo jeitinho que a Chika fez em Honey & Clover.

Assistam! Sangatsu no Lion está disponível no catálogo da Netflix.

Compartilhe: