Depois do episódio triste que fez Kelly Marie Tran sair da internet, fãs de Star Wars enviam apoio com fanarts

Rose-Tico__capa

Mesmo antes da reação negativa do público ao The Last Jedi, a atriz Kelly Marie Tran, que interpretou Rose Tico no filme, foi alvo de assédio racista e machista. Após meses suportando tudo, Tran desativou sua conta do Instagram. Embora nenhuma declaração oficial tenha sido feita por Tran ainda, muitos de nós entendemos isso como uma resposta ao tratamento horrível que ela estava sofrendo.

rose-tico-star-wars-the-last-jedi

E o que nós não entendemos é: você pode não gostar da Rose como personagem, mas por que isso tem que se traduzir em racismo e linguagem machista dirigida a uma atriz? De forma pessoal ainda? Será que os fãs que foram insultá-la percebem que ela não escreveu o personagem? Ela está fazendo um papel, então se qualquer pessoa quisesse reclamar sobre o quão terrível ela supostamente está no filme, tudo bem – mesmo que isso não signifique que é ok entrar em suas contas e assediá-la.

Ou ir ao Wookiepedia e editar a página da personagem para adicionar comentários racistas e discriminatórios.

via screengrab

via screengrab

Sempre que os fanboys têm uma reação explosiva para defender a si mesmos e seus companheiros das generalizações e de afirmações de não serem inclusivos, devo perguntar: o que você está fazendo para impedir esse tipo de comportamento?

A incapacidade do fandom como um coletivo para discutir personagens não-brancos sem ter que entrar em linguagem racista micro-agressiva tem sido um problema desde o começo, e só foi destacada mais explicitamente pela mídia social. Esse é o negócio, para aqueles de vocês que não são racistas e também não gostam de Rose Tico ou TLJ por razões legítimas de escrita, especialmente se você é branco e homem: você precisa enfrentar essas pessoas. Isso não significa que você precisa chamá-los com linguagem abusiva ou trazer suas mães para conversa, mas está na hora de dar nome aos bois: chamar um racista de racista, e sexista de sexista – e parar de tentar ser legal ou deixar essa batalha para os membros marginalizados do fandom. Esses tipos de fãs estão fazendo você parecer mal também. Eles estão perpetuando estereótipos sobre você, e toda vez que você deixa um deles pra lá porque você concorda com eles sobre odiar a personagem, suas preocupações legítimas só estão sendo acumuladas num mar de merda. Pare de adotar e apoiar o discurso de ódio e a micro-agressão para debater sobre um filme. Fãs de Star Wars, brancos, masculinos, vocês precisam ficar de olho no seu fandom – uma situação parecida é sobre a personagem feminina em Battlefield V (leia mais aqui).

Sempre me surpreenderá que a ficção científica e a fantasia, repleta de histórias e narrativas sobre “O Outro” e empatia olhando além dos nossos próprios umbigos também possam ser um prato feito pro racismo e machismo. De quem claro, não está entendendo a mensagem.

Mas alguns entendem. E tentaram ajudar. Apesar de ser um ato bem simbólico, artistas no Twitter criaram a hashtag #FanArtForRose e a usaram para postar algumas fanarts muito bonitas para combater todo esse ódio e negatividade.

Vejam algumas abaixo:

O próprio Mark Hamill twittou sobre o assunto:

Demais, né? <3


Texto traduzido e adaptado de: TheMarySue | GeeksAreSexy

Quem escreve? Liao

Débora é musicista, pesquisadora e otaku (não fedida, prometo). 1/3 gamer, 100% sonserina. A alcunha de Liao veio de um site aleatório de geração de nomes japoneses (Liao é chinês, mas tudo bem).