Conheça o caso das ‘Pepekas da AceZone’

pepekas da acezone destaque

Há alguns dias, ocorreu um fato que me deixou bastante reflexiva e que realmente me incomodou, mas por ser um assunto muito polêmico, fiquei pensando na melhor maneira de abordá-lo, por isso demorei um pouco para escrever sobre isso.

Bom, para situar todos vocês, no dia 07/08/2013 a AceZone, grupo que organiza torneios, campeonatos e outros eventos relacionados a League of Legends, publicou a seguinte imagem no Facebook:

pepekas da acezone
O motivo da imagem era divulgar uma espécie de concurso que ia rolar entre as meninas da AceZone que jogam LoL, mas teve uma repercussão tão negativa que eles logo tiraram do ar. E não é para menos. Essa denominação “Pepekas da AceZone” me deixou indignada em tantos níveis que é até difícil dizer todos. É tão absurdo que seria a mesma coisa que dizer “venham ver a batalha dos piruzudos, galera”. QUEM FALA ASSIM? Mas não acabou por aí. Como resposta à polêmica gerada pela expressão, a Ace Zone publicou uma “retratação” sobre o assunto (que pode ser vista aqui) que para mim foi quase pior do que se eles não tivessem dito nada. Para resumir, o cara falou basicamente o quanto ele trabalha e gasta dinheiro com o projeto e que essas pessoas ainda vem criticar algo que foi só uma “brincadeira” que adveio de uma piada interna. Tá, mesmo que não entre na cabeça dele os motivos dessa “piadinha” ter irritado as pessoas, ele podia ter tido pelo menos o respeito aos seus seguidores de pedir desculpas.

Mas calma! Tudo isso já seria motivo suficiente para nos levar a esse post, mas ainda teve mais!

No dia 20, há 3 dias atrás, uma das jogadoras profissionais da AceZone, Sayu Chung, se pronunciou publicamente sobre o assunto:
sayu pepekas da acezone

Esse é só o começo da mensagem, para ler o pronunciamento completo, você pode clicar aqui. Basicamente ela diz que se sentiu ofendida pela brincadeira (de muito mau gosto por sinal), mas que para ela é até um pouco pior do que para as outras por ela ser coreana e a família ser extremamente conservadora, ela afirma até temer pelo que pode acontecer se isso chegar aos ouvidos dos familiares dela e pela vergonha que ela iria passar. E que, apesar de tudo isso, o dono da AceZone não foi capaz nem de pedir desculpas a ela. Quer dizer, como se não bastasse desrespeitar o público, ainda desrespeita um próprio membro da equipe. O resultado disso foi que ela saiu do time (e ela ainda era conhecida como uma das melhores jogadoras) e o “tal” do Glauco ainda justifica a saída dela como sendo devido a “trash talk”, mas que “no lugar já entraram outras duas” (só faltou ele falar “mulher é igual biscoito, sai uma e entra oito HUE”).

Eu não cheguei a ver a imagem publicada, fiquei sabendo através de uma leitora que nos enviou por e-mail um link que falava sobre o assunto. Mas, além de tudo isso, como se não bastasse, pelo que o Jimmy escreveu no texto dele, muitos homens ofenderam as mulheres que já estavam ofendidas pela piada das “pepekas”. E, vendo os comentários no blog dele, vários chamaram ele de lambedor de b***** por estar do nosso lado.

Gente, sério, toda essa história é um acúmulo tão grande de ridículos e absurdos que é até difícil saber por onde começar. Para ser direta, vou enumerar os motivos para explicar o porquê disso estar tudo errado:

1) Diminuição das mulheres: O primeiro ponto óbvio e que mais pega nessa história toda, chamar um grupo de jogadoras profissionais de “pepekas” é degradante, é querer diminuir um grupo que vem ganhando força, mas que ainda é minoria nesse meio.

2) Insistir no erro: Todos podem errar, mas insistir no erro é burrice. Depois de todas as críticas, eles poderiam pensar “essas pessoas podem ter razão, vou guardar minhas piadas internas idiotas para mim e meus amigos e pedir desculpas”. Mas ao invés disso, ele só exalta o quanto ele é “bom” e o quanto ele trabalha pelo grupo e ainda tem que lidar com “gente que não tem mais nada para fazer”.

3) O cara deixa um dos melhores membros da equipe sair só pelo orgulho de não se desculpar: Não tenho comentários sobre isso.

4) Ainda ter homens que xinguem outros por isso: Porque, para alguns homens, todas nós mulheres somos choronas e loucas, e qualquer homem que se posicione a nosso favor é um “lambedor de b*****”. Sério, ainda não acredito que exista gente assim.

A discussão que eu quero propor aqui é sobre limites, sobre o que você fala entre seus amigos e o que você diz num local público que se diz “sério”. Se alguém quiser chamar as amigas de “pepekas” e elas não ligam para isso, ótimo. Mas não espere que todas as outras sejam compreensivas quanto a isto. Gostaríamos de ter os mesmos direitos e o mesmo respeito que um jogador homem teria.

Quem escreve? Marina Formaglio

Jornalista, aspirante a escritora e invocadora nas horas vagas. O apelido "Feiurosa" é uma homenagem à sua alma gêmea canina, uma vira-latinha chamada Feiura, que já partiu, mas continua em seu coração <3 Contato no Facebook ou Twitter.