Capitã Marvel é criticada por “não sorrir” nos trailers e explicamos por que isso é ridículo e machista

captain-marvel7-1

Não dão sossego nem pra Capitã Marvel…

O primeiro trailer de Capitã Marvel foi finalmente lançado e gerou reações bastante animadas. Afinal, já se passaram quase seis meses desde o devastador estalar de dedos de Thanos em Guerra Infinita e da chamada de socorro de Nick Fury na cena pós-créditos do filme. Mas nem todo mundo parece feliz com o que vimos até agora. O motivo? A falta da Carol de moicano? O fato dos Skrulls parecerem muito com o Piccolo em Dragonball Evolution? Não. A pergunta que habita a mente de certas pessoas é “por que tão séria, Brie?” *rolleyes*

É sério, as pessoas estão xingando muito no Twitter porque Brie Larson, atriz que interpreta a heroína, não ficou sorrindo durante as cenas do trailer ou dos pôsteres. Alguns chegaram a chamar a atriz, vencedora do Oscar, de “pedaço de madeira”, dizendo que ela parece “não estar interessada em ser uma super-heroína” ou que parecia estar indo para uma “reunião de família”. E a falta de sorrisos por parte de uma heroína parece ser terreno fértil para modificações via Photoshop. Não temam, Marvel e Disney! Vocês não precisarão regravar todas as cenas forçando a atriz a sorrir como o Coringa durante as épicas batalhas espaciais e intensos treinamentos, como se estivesse em um comercial de creme dental, já que graças a um app de modificação facial, um ser abençoado conseguiu fazer todo esse trabalho para vocês.

A reclamação lembra aquela maldita controvérsia envolvendo as axilas da Gal Gadot no trailer de Mulher Maravilha, e só serve para demonstrar como as protagonistas femininas tem de passar pelo escrutínio masculino, diferente das suas contrapartes masculinas. Desde que Blade (1998) levou os filmes de herói a um caminho mais sombrio, é difícil encontrar qualquer pôster ou imagem destacada de trailers em que o herói não esteja se contorcendo de dor, firme em pose determinada ou heroicamente olhando para o horizonte. Apenas personagens como Deadpool e o Homem-Aranha quebram esse padrão.

Thor: Ragnarok, por exemplo, foi criticado por ser “muito divertido”, mas ninguém reclamou que Thor estava sorrindo demais. Na outra ponta, os filmes do Universo Estendido DC foram criticados por não serem divertidos o suficiente. E ainda assim, ninguém reclamou das caras fechadas do Super-Homem ou do Batman como sendo parte do problema.

Nenhum personagem do Universo Cinematográfico da Marvel – homem ou mulher – jamais teve suas expressões faciais alteradas pela “falta de felicidade”. Scarlett Johansson tem encarado a audiência de forma séria desde o filme Homem de Ferro 2, somente sorrindo por fins manipulativos.

Mas então o que torna Carol Danvers diferente? A resposta é bem simples: essa é a primeira vez que uma mulher estrela de forma solo um filme da Marvel. Uma das pouquíssimas vezes em que uma mulher protagoniza um filme de super-herói. E nesta posição é que vemos seu rosto sério na maior parte do trailer. Mas há muito mais a se examinar. Julgando pela narrativa do trailer, Capitã Marvel não será um filme “divertido” como Homem-Formiga e a Vespa, o primeiro da Marvel a conter o nome de uma heroína no título, e sim uma grande aventura intergaláctica cheia de ação. Além disso, Carol é alvo de um hype enorme, não apenas por ser o “novo rosto” da Marvel, mas também a personagem mais forte do Universo Cinematográfico, que reforçará os Vingadores no último minuto, para ajudar a derrotar Thanos no próximo filme dos Vingadores.

O que precisamos saber agora é se ela possui as habilidades necessárias para chutar um traseiro roxo, e não se ela é capaz de ficar sorrindo por aí.

Talvez possamos vê-la soltando algumas piadas nos intervalos entre sua tentativa de parar uma guerra alienígena e sua luta para recuperar suas memórias perdidas na queda na Terra. E ainda que seja esse o caso, esse não é o X da questão. As pessoas não estão reclamando que o filme não é divertido o suficiente. Elas estão reclamando que ela não sorri o bastante.

Falar para uma mulher “sorrir mais” é um dos pontos básicos da cartilha sexista.

Muitas mulheres – particularmente aquelas com expressão mais séria – podem te falar sobre a expectativa que elas pareçam felizes enquanto estão sentadas no ônibus ou andando pela rua, e como isso é algo persistente. São incontáveis as histórias de mulheres sendo abordadas por homens desconhecidos falando coisas do tipo “sorria, gatinha”. A expectativa é que as mulheres sejam sempre “simpáticas”, ou pior, decorativas. É uma lembrança de que você está constantemente sendo observada, onde quer que esteja. E se você não atingir essas expectativas, pode ter certeza, você será cobrada para que “corrija” isso antes que comece a assustar crianças.

Mas bem, se o pior que podem falar sobre a Capitã Marvel nesse momento é que ela não parece super empolgada o tempo todo, pode ser que tenhamos um novo Pantera Negra prestes a ser lançado.

Coloquem uma dentadura no cu e vão sorrir pro caralho, queridos.

Edit: A resposta da Brie foi simplesmente perfeita:

Se o problema parece estúpido quando troca-se o gênero, é porque É estúpido.


Fonte: ComicBook

Quem escreve? Liao

Débora é musicista, pesquisadora e otaku (não fedida, prometo). 1/3 gamer, 100% sonserina. A alcunha de Liao veio de um site aleatório de geração de nomes japoneses (Liao é chinês, mas tudo bem).