Você tem certeza que sabe o que é um otaku?

banner

Eu já li muitos textos que discutiam esse assunto, mas ultimamente eu tenho notado que: ou as pessoas ignoram e não leem tudo que já foi escrito e explicado, ou elas até leram, mas não tiveram inteligência suficiente para absorver qualquer coisa que fosse.

Tem gente que adora ser chamado de otaku, que se auto proclama um. Tem gente que adora chamar as pessoas que gostam de qualquer coisa relacionada a Japão de otakus. Se você digitar Otaku no Google irá achar várias exemplos de pessoas que acham que ser chamado de otaku é legal, ou pelo menos, inofensivo.

Afinal de contas, o que é um otaku? Qual o significado dessa palavra? Será que é realmente legal ser chamado de otaku?

Otaku1

A palavra otaku é um termo derivado do japonês, que significa a casa de outra pessoa ou família. Também é usada às vezes com um sentido metafórico, como um pronome de segunda pessoa honorífico, neste caso podemos dizer que a tradução literal seria “você”.

Hoje em dia porém, nós conhecemos essa palavra com um outro sentido. Para a maioria das pessoas, otaku é uma pessoa que assiste animes, lê mangás, etc… Porém essa palavra não é assim tão inocente, quanto a forma que nós costumamos usá-la.

O termo otaku usado hoje em dia, se difere do original apenas pela forma como é escrito, e foi usado pela primeira vez, no começo dos anos 80, no discurso do humorista Akio Nakamori. Sua série de 1983, “Otaku no kenkyu”, usou o termo para designar fãs desagradáveis.

No Japão, de uma forma geral, chamar alguém de otaku é um insulto. É como se você falasse para a pessoa que as habilidades sociais dela são zero, que ela não tem nem nunca teve uma vida, além do seu fandom. Lá, um otaku é aquela pessoa que só sai de dentro de casa para comer ou fazer compras, uma pessoa obsessiva, um stalker, um sociopata.

Otaku2

Essa palavra acabou se tornando um tabu no Japão devido ao incidente ocorrido no ano de 1989, onde um japonês, chamado Tsutomu Miyazaki, assassinou várias garotinhas e gravou vídeos de tudo que ele havia feito com elas. Miyazaki nada mais era do que um otaku, fanático por lolicon*.

Eu poderia escrever linhas e linhas explicando como o termo foi erroneamente adotado nos Estados Unidos, e acabou se espalhando por vários outros países, como por exemplo o Brasil, mas eu sei que vocês não vão se importar muito. Basta saber que, o termo foi introduzido aos americanos por volta dos anos 80, com a paródia “Otaku no video 1985″, do Estúdio Gainax, e partir daí se espalhou.

Para concluir, não importa o que vocês pensem a respeito desse assunto, NUNCA me chamem de otaku, eu odeio essa palavra. E se um dia eu chamar alguém de otaku, pode ter certeza que meu objetivo era ofender.

* Lolicon, rorikon ou loli-con é uma abreviatura de lolita complex, ou seja, complexo de lolita em inglês. A palavra é usada no Japão para pedofilia ou efebofilia. Fora do Japão, geralmente é usada quando se refere a animes ou mangás que retratam meninas menores de idade (de 6 a 14 anos) em situações sexuais ou de nudez.
Fonte: Wikipedia

Quem escreve? Nah

Amo Resident Evil incondicionalmente, mas tenho quedas absurdas por Tomb Raider. Assisto séries e animes como se não houvesse vida além disso. Gosto de k/c/j-pop/rock e ~metal~. Sou brega, chata, leio fanfic com idol asiático e durmo com meias de lã o ano todo.