Personagem da Semana: Babydoll (Sucker Punch)

Personagem da Semana - Babydoll (Sucker Punch)

Primeiramente devo desculpas aos que notaram que semana passada não teve Personagem da Semana, mas já estamos de volta com nossa programação normal. Enfim, vamos ao que interessa.

Sucker Punch é um filme bastante peculiar. Isso porque ao mesmo tempo em que ele é cheio de ação, porrada e mulheres de micro saia, além de muita confusão, ele possui uma certa reflexão de pano de fundo, diferente da maior parte dos filmes de ação. E Babydoll representa essa dualidade.

Trama

Os grandes problemas de Babydoll vieram após o falecimento de sua mãe. Ao descobrir que ela deixou toda a herança para as filhas, o padrasto se vira contra elas. Ele vai atrás de Babydoll possivelmente pensando em estuprá-la, mas acaba se voltando para sua irmã mais nova. Ela pega então uma arma para defender a irmã, mas ao tentar matar o padrasto, ela erra o tiro e acaba acertando a garotinha.

A situação fica ainda pior quando o filho da puta padrasto chama a polícia e acusa a garota de matar a irmã num ato de loucura, então ela é levada para um manicômio para que façam uma lobotomia nela para impossibilitá-la de contar a alguém sobre o ocorrido. E é lá onde começa a ter fantasias para fugir de sua triste realidade.

Fantasia dentro de Fantasia

Sucker Punch é um filme um pouco confuso quanto ao fato de não sabermos exatamente o que está acontecendo. É fantasia dentro de fantasia.

Babydoll para fugir da realidade do manicômio, imagina que ela está vivendo num bordel onde tem aulas de dança para agradar aos homens, e que suas amigas também estão sendo obrigadas a serem prostituídas. Quando a garota começa a dançar, ela imagina que vai para outro mundo em que ela luta com armas e espadas ao lado das amigas contra seus inimigos.

Então fica a dúvida no ar e apenas podemos imaginar o que realmente acontece no “primeiro plano”.

Parceiras

Após ter um sonho em que ela descobria como escapar do “bordel” (o manicômio naquela realidade), ela convoca as outras garotas para se unirem a ela nessa saga. As garotas são:




Rocket: é a mais próxima de Babydoll, principalmente após a amiga salvá-la de um ataque do cozinheiro. Ela fugiu de casa porque brigava muito com os pais, e sua irmã, Sweet Pea a seguiu para protegê-la e para que as duas pudessem sobreviver. Rocket usa uma metralhadora, uma faca e um pistola e sua roupa é meio estilo ‘sci-fi’.




Sweet Pea: como disse antes, ela fugiu com sua irmã mais nova, Rocket para protegê-la. Ela usa uma espada prata de duas mãos e um rifle M4 personalizado. Sua vestimenta é a mais medieval de todas.




Amber: ela é a piloto do grupo, apesar de faltar um pouco de autoconfiança. Sua roupa lembra as roupas da 1ª Guerra Mundial.




Blondie: é aquela que você só percebe que existe na hora que morre. Seu nome é irônico pelo fato de seus cabelos serem escuros (como vocês puderam obviamente perceber pela foto). Seu estilo é meio steampunk .

Filosofia por trás da pancadaria

OBS: Contém spoilers!!!

Agora voltamos àquilo que eu disse no início deste post. Sucker Punch é diferente da maioria dos filmes de ação normal por possuir uma certa filosofia dentro dele. Primeiro porque envolve realidades alternativas, nas quais não sabemos o quanto de “verdade” elas possuem.

Porém, o seu final é o que o filme tem de mais especial. As garotas vão morrendo uma a uma e no final sobram apenas Babydoll e Sweet Pea. Porém, após uma enrascada, penas Sweet Pea consegue fugir. Neste momento Babydoll, a então protagonista do filme, diz “eu só percebi agora, esta história nunca foi sobre mim”, e ela acaba sofrendo a lobotomia.

Não sei como vocês interpretaram esse final, mas o inesperado é pelo fato que sempre esperamos que o personagem que aparece mais em um filme (o protagonista) seja o sobrevivente no fim, mesmo que todos os outros morram ao seu redor, o “importante” é ele sobreviver (admitam que vocês também sentem isso quase sempre, vai).

Mas o final feliz não acontece para quem esperamos que vá acontecer, já que Babydoll acaba sofrendo a lobotomia e Sweet Pea consegue escapar do manicômio e voltar para a casa de seus pais. Talvez isso aconteça um pouco na nossa vida real… Já parou para olhar ao seu redor ultimamente?

Mas isso também pode ser só filosofia barata. Ou não.

Vídeos

Os primeiros 5 minutos do filme (muito bom)

Essa é para os homens e afins: Babydoll dançando por 9 minutos – “for all your Babydoll needs” (ri muito)

Quem escreve? Marina (Feiurosa)

Jornalista, escritora e invocadora nas horas vagas. Também resolveu se aventurar no mundo do empreendedorismo abrindo sua própria empresa de marketing digital. Foi assim que começou a ter cabelos brancos. O apelido "Feiurosa", usado em todos os jogos, é uma homenagem ao seu maior amor canino, uma viralatinha chamada Feiura, que já partiu, mas continua em seu coração.