Personagem da Semana: Timão e Pumba

Personagem da Semana: Timão e Pumba

Timão: Olha, garoto. Coisas ruins acontecem e não há nada que se possa fazer, certo?
Simba: Certo.
Timão: Errado! Quando o mundo vira as costas pra você, você vira as costas para o mundo.
Simba: Não foi isso o que me ensinaram.
Timão: Talvez você precise de uma nova lição. Repita comigo: Hakuna Matata.
Simba: O quê?
Pumba :Hakuna Matata. Significa sem preocupações
Timão: 2 palavras que mudarão a sua vida!
Simba: É mesmo?’

É mesmo! E mudou não apenas a vida de Timão, Pumba e Simba, mas mudou a vida de toda uma geração.

E sim, você não leu errado. O Personagem da Semana na verdade são oS personageNS da semana. Isso porque Timão e Pumba são quase que uma coisa só. Impossível falar de um sem o outro. Eles são como strogonoff e batata palha, podem até existir separados, mas são muito melhores juntos.

Timão (Timon)

Timão é um suricate bem pequenininho que tem o ego do tamanho da pedra do rei. Ele adora tomar para si o mérito das ideias e de todo o serviço pesado que o Pumba faz. Mas apesar de poder ser bem egoísta, egocêntrico e um tanto covarde, ele tem um bom coração, e é bastante leal aos seus amigos.

Curiosidade: o nome completo do suricate é Timon Berkowitz.

Pumba (Pumbaa)

Pumba é um javali amável, extremamente protetor com seus amigos e odeia ser chamado de ‘porco’ (para você, é Sr. Pooorcooo). Ele muitas vezes é inseguro e ingênuo, e essa ingenuidade é muitas vezes confundida com estupidez, já que quase sempre ele não percebe (ou finge não perceber) que seu amigo Timão tira vantagem dele. Aliás, às vezes ele tem insights bastante geniais e planos muito inteligentes.

Curiosidade: o nome completo do javali é Pumbaa Smith.
Curiosidade2: o nome original ‘Pumbaa’ vem de uma expressão em Swahili (um dialeto africano) que significa ignorante/preguiçoso.

Quando eles eram um filhooote

Antes de se conhecerem, ambos não tiveram a melhor das infâncias. Timão era extremamente recriminado em sua sociedade de suricates por causa do seu jeito atrapalhado e improdutivo. Em todas as funções que ele assumiu, ele causou algum desastre, fazendo com que quase todos os outros não gostassem dele. Apenas sua mãe que o amava incondicionalmente (como toda mãe normal) e o mimava muito. Até que um dia ele se cansa de sua vidinha (que se resumia a cavar túneis e fugir de hienas) e sai em busca de um ‘algo mais’. E nesse meio de caminho que ele conhece Pumba, a quem ele a princípio se recusava a chamar de amigo, chamando apenas de ‘bom conhecido’ (nessa cena ele diz: “este é o início de um grande conhecimento”).

Já a infância de Pumba é um pouco mais nebulosa do que a de Timão. Aparentemente seus pais foram comidos por leopardos, e ele era extremamente isolado no meio da sociedade de javalis (e de toda a selva) por causa do seu cheiro. Por isso ele cresceu muito sozinho e dá muito valor as amizades que tem com Timão e com Simba.

Hakuna Matata… é lindo dizer! (ou Hatuna Matata em português)

Aliás, essa é uma questão que eu nunca consegui descobrir a resposta, do porquê de terem traduzido o nome diferente. A única explicação mais ou menos lógica é porque o nome poderia ser usado de alguma forma pejorativa, mas mesmo isso não faz muito sentido. Mas enfim, divagações…

A explicação de como surgiu o lema de vida de Timão e Pumba, Hakuna Matata (que significa ‘sem problemas’) aparece no terceiro filme do Rei Leão (ou no filme 1½ como é chamado no original em inglês).

Quando Timão vai embora de casa em busca de alguma razão maior para viver, ele encontra Hafiki, o babuíno, que dá conselhos para ele e no fim diz “Hakuna Matata”. Só que ele esquece essas palavras e fica tentando se lembrar por um bom tempo. Até que, logo depois que ele conhece o Pumba, este fala para o Timão que esse algo mais que ele procura é o Hakuna Matata dele. De aí em diante, pegou!

Curiosidade: os dubladores de Timão e Pumba no original (Nathan Lane e Ernie Sabella, respectivamente) fizeram o teste a princípio para as hienas Shenzi e Banzai (interpretadas no filme por Whoopi Goldberg e Cheech Marin). Porém os diretores adoraram tanto a performance dos dois que acharam que eles seriam melhores como Timon e Pumbaa.

Vídeos

Os dois amigos têm performances clássicas que merecem estar aqui também:

No filme “Volta ao Mundo com Timão e Pumba”, quando o javali perde a memória, o suricate canta a música “Stand By Me”, do Ben E. King, para ajudar o amigo a se lembrar das coisas:

Timão e Pumba dança a hula:

Curiosidade: A fala de Timão “What do you want me to do, dress in drag and do the hula?” (O que você quer que eu faça, me vista de mulher e dance a hula?) foi improvisada por Nathan Lane.

Abertura da série “Timão e Pumba:

http://www.youtube.com/watch?v=xNDIjN73mcw

Come, come, come, acho que eu to com fome…

Quem escreve? Marina

Jornalista, escritora e invocadora nas horas vagas.