Personagem da Semana: Link

linkprincipal

Atendendo a pedidos de nossos (2) fãs, o personagem dessa semana será Link, aquele gatinho. Para os n00bs, não, o nome dele não é Zelda, apesar do jogo se chamar The Legend Of Zelda. A Zelda na verdade é mais uma daquelas princesas que vivem sendo raptadas e dando trabalho para o mocinho, como a Peach dá (trabalho) para o Mario. Mas enfim, essa é outra história.

A História

A história de Link é um pouco complicada de se entender, na verdade existem várias teorias sobre ela. O que começou como uma suposição e foi confirmado pelo seu criador Shigeru Miyamoto (aquele mesmo que também criou o Mario) é de que Link teria várias encarnações, por isso sua localidade e aparência mudam um pouco de jogo para jogo, apesar das várias encarnações manterem o mesmo gosto por gorrinhos verdes e cabelinho à la Justin Bieber.
Em geral, o pano de fundo dos jogos de Link é o mesmo. Link tem que salvar a princesa Zelda juntamente ao reino de Hyrule. Ao contrário do que parece, ele começa a maior parte dos games como criança ou um adolescente novinho (em média entre 7 e 12 anos, o que faz eu me sentir uma pedófila por achar ele atraente), com exceção dos jogos The Adventure of Link e Twilight Princess, que ele tem entre 17 e 19 anos.

Características

Não se sabe muito da personalidade de Link (como ocorre com a maior parte dos personagens da Nintendo), mas isso acontece nesse caso principalmente por Link ser o tipo de cara de poucas (ou nenhuma) palavras. A maior frase que podemos ouvir em seus jogos é “Haaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa! Heeeyyyaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa”. Mas em geral Link demonstra ter um bom caráter e ser bastante corajoso.

As Encarnações e Aparências de Link


The Legend of Zelda (1986 para NES): Primeiro jogo da linhagem, Link era apenas um pequeno ser com poucos pixels.


The Adventure Of Link (1987 para NES): Link continua com poucos pixels nesse jogo. Mas o diferencial desse game é que Link fala!!! Quando ele encontra o espelho em Saria Town, ele diz: “Eu encontrei o espelho debaixo da mesa”. Cool, ham?


A Link to the Past (1991 para SNES): sim, esse negócio que parece um ratinho é o Link.


Link’s Awakening (1993 para Game Boy e 1996 para GB Color)


Ocarina of Time (1998 Nintendo 64): O jogo mais reconhecido de Link, é o preferido por 95% dos jogadores (número chutado por mim mesma)


Majora’s Maks (2000 Nintendo 64): Como eu não faço parte das maiorias, eu me encaixo nos 5% que acham esse o melhor jogo Zelda. Talvez seja um puxa-saquismo pela nostalgia causada, já que esse foi o primeiro game com esse herói que eu joguei.


Oracle of Ages e Oracle of Seasons(2001 GBC)


Four Swords (2002 GBA): Nesse jogo Link é dividido em 4 versões dele mesmo que devem trabalhar juntos, pelo menos dessa vez ele sai um pouco do verde comunzão e usa também azul, vermelho e roxo.


The Wind Waker (2002 Game Cube): Esse é o game com a aparência mais diferente que Link já teve. Ele assume um ar meio cômico com olhos grandes e expressões engraçadas.

Four Swords Adventure (2004 Game Cube): Nesse Link aparece novamente com seus amiguinhos restarts coloridos.

The Minish Cap (2004 GBA): um jogo levemente esquecido pelo fato de muitos fãs da série estarem esperando ansiosamente o próximo jogo que seria lançado para Game Cube, o Twilight Princess.


Twilight Princess (2006 Game Cube e Wii): Esse é um dos jogos em que Link aparece um pouco mais velho. Pegável, não?


Phatom Hourglass (2007, Nintendo DS): Continuação do game Thw Wind Waker.


Spirit Tracks (2009, Nintendo DS): Mais um da série dos olhões.


Skyward Sword (2011, Wii): Nesse game que ainda está por vir, Link parece ter sua aparência adulta novamente.

Quem escreve? Marina

Jornalista, escritora e invocadora nas horas vagas.